sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Churrasco



Todo brasileiro gosta de juntar os amigos e fazer churrasco, principalmente aos finais de semana. Mas será que durante estes encontros as pessoas estão consumindo alimentos seguros?

O consumo de carnes contaminadas pode veicular diversas doenças, sendo as mais comuns aquelas causadas por Salmonella, Staphylococous aureus e Bacilus cereus. Os sintomas para diagnóstico são náuseas, vômitos e diarreia, sendo a Salmonella a de maior severidade, podendo levar à morte
.
Devemos tomar algumas atitudes preventivas, começando pela hora das compras:

● Se a carne é inspecionada pelo Serviço de Inspeção Federal – SIF, Estadual – SISP ou Municipal – SIM. Esta informação deve estar presente na embalagem do produto ou de forma visível no estabelecimento e garante que a carne não é clandestina, ou seja, a saúde e o manejo dos animais são controlados por agentes sanitários;

● Se a carne apresenta coloração vermelho-cereja, brilhante e, no caso das embaladas a vácuo, coloração amarronzada;

● A integridade das embalagens, pois essas funcionam como barreira protetora para os produtos contra contaminação microbiológica, contaminação física e contaminação química;

● A temperatura de armazenagem e exposição do produto, pois esta se relaciona diretamente à qualidade. É importante que a carne seja a última a ser colocada no carrinho de compras, pois a oxidação de temperatura influencia na vida útil do produto (validade);

No momento do preparo em casa, a forma ideal para descongelar qualquer alimento (preparado ou não) é armazená-lo na parte inferior da geladeira. Este procedimento é mais demorado, no entanto, é mais seguro do que o descongelamento à temperatura ambiente, o qual aumenta o risco de proliferação de bactérias. Pode-se, também, descongelar utilizando o forno de micro-ondas. As carnes que já foram descongeladas não devem ser congeladas novamente. Isso pode diminuir a vida útil do produto, além de alterar as características sensoriais (cor, odor e textura).

As carnes que não serão preparadas imediatamente devem ser conservadas em geladeira, não devendo ficar por mais de 30 minutos à temperatura ambiente, que propicia o desenvolvimento de micro-organismos.

Durante o assamento, é importante que a temperatura da carne atinja 74°C no seu centro ou apresente coloração parda, inclusive na parte interna. Somente assim, pode-se garantir a eliminação dos possíveis micro-organismos patogênicos presentes, causadores de enfermidades.

No entanto, a permanência prolongada da carne na grelha também pode vir a ser um problema, pois grande parte das substâncias resultantes da combustão do carvão é tóxica. Além disso, a gordura que se libera cai sobre a fonte de calor e origina, frequentemente, uma chama que carboniza o alimento. Sempre que a matéria orgânica se carboniza ou é submetida as temperaturas muito elevadas, além de ocorrer perda de nutrientes, formam-se substâncias cancerígenas, cujo consumo é prejudicial ao organismo. Portanto, para se garantir um churrasco saudável, deve-se evitar manter o alimento por um longo período na grelha e muito próximo do carvão (manter uma distância de 30 cm).

Escolhas Saudáveis

● Se a carne que você mais gosta é a picanha, pode comê-la. Não vale a pena abdicar do prazer por um pouco de calorias a menos. Mas experimente também cortes mais magros, como alcatra, fraldinha etc.

● Ninguém precisa comer todas as carnes e linguiças com pão para matar a fome. Prefira as saladas e coma devagar.

● Bananas fritas, polentas e farofas possuem altíssimo teor calórico. Coma aquilo que lhe dá mais prazer – as carnes -, procurando comer menos ou abrir mão dos acompanhamentos muito calóricos.

● Dispense molhos extras e aproveite melhor o sabor da carne.

● Carne de porco é, sim, a mais gorda. Se puder, escolha cortes magros como o lombo.

● No restaurante tipo rodízio, não coma até se fartar só porque você já pagou ou o garçom está logo ali, com os espetos e o carrinho de carnes à disposição. Coma na medida da sua fome, peça a conta e vá embora.

● Para compensar os exageros do churrasco, procure fazer com que as próximas refeições sejam mais leves. Coma muito verde, beba muita água e, na sobremesa, só fruta.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Gil, RS; Pirillo, CP. Churrasco seguro. Alimento seguro e o papel do consumidor. Piracicaba, GESEA: 2012.

Philippi, ST. A dieta do bom humor. São Paulo: Panda Books, 2006.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Café da Manhã



Durante a noite, o corpo consome cerca de 40 a 60 kcal por hora de sono, por isso, quando acordamos, nosso organismo precisa se alimentar. O ideal é que essa refeição garanta em média 25% do total energético consumido durante o dia. Isto é, se você consumir 1000 kcal por dia, 250 kcal devem estar presentes no café da manhã.

Por que as pessoas deixam de tomar o café da manhã?

As razões são diversas: falta de tempo, falta de fome nesse momento do dia ou desejo de fazer dieta para perder peso. Além dos adultos, é comum que as crianças também fiquem sem tomar café da manhã, já que seguem o exemplo dos pais.

 Quebre o jejum

Além de contribuir para manter a saciedade ao longo do dia, ajuda a controlar a quantidade de calorias que você ingere diariamente. E, se você não toma café da manhã, nem pratica exercícios para queimar calorias, elas vão se acumular e fazer você engordar.

Uma pesquisa de Harvard, nos Estados Unidos, mostrou que homens que não tomam café da manhã têm risco até 27% maior de sofrer um ataque cardíaco quando comparados aos que fazem a primeira refeição do dia. Segundo o estudo, os homens que não se preocupavam em comer pela manhã eram os mais jovens e aqueles que eram “fumantes, solteiros, sedentários, mais consumidores de bebida alcoólica e trabalhadores em tempo integral”.

Como preparar um café da manhã saudável

Carboidratos, proteínas, frutas, hortaliças e alimentos fontes de cálcio (por exemplo, leite e derivados) devem estar presentes para garantir uma refeição completa. Confira alguns exemplos que você pode seguir para ter um bom café da manhã:

Opção 1:

2 fatias de pão integral + 2 colheres de sobremesa de queijo cottage + 1 colher de chá de semente de gergelim + 1 copo (250 ml) de suco de laranja com morango e beterraba

Opção 2:

1 tapioca recheada com peito de peru, queijo branco magro e 3 tomates cereja picados + 1 copo (250 ml) de suco de abacaxi com hortelã e 1 colher de linhaça

Opção 3:

1 fatia média de bolo integral de maçã com castanhas + 1 copo de leite batido com cacau + 1 banana prata

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referência Bibliográfica:

Sem café da manhã, o prejuízo é todo seu. Meu Prato Saudável. Disponível em: www.meupratosaudavel.com.br

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Flacidez



A flacidez é causada pela falta de fibras elásticas de sustentação da pele (colágeno e a elastina) e começa a ficar mais evidente a partir dos 35 – 40 anos. Com a diminuição do colágeno, os músculos ficam flácidos, diminui a densidade dos ossos, a pele fica mais fraca, desidratada e sem elasticidade, culminando em flacidez.

Por ser originada por um fator natural, todos estão predispostos, tanto homens como mulheres. No entanto, a flacidez é mais acentuada em mulheres devido a fatores hormonais, gravidez e amamentação. Outros fatores que fazem com que se acentuem a flacidez, em ambos os sexos, é o excesso de sol, o sedentarismo e o efeito sanfona - emagrecer e engordar alternadamente.

Exercícios físicos são fundamentais para enrijecer a musculatura e aumentar a circulação. A prática de esportes melhora o padrão muscular e beneficia os tecidos, a pele, intestinos e outros órgãos.

A alimentação é um importante fator que também deve ser levado em consideração para quem deseja prevenir e combater não só a flacidez, mas qualquer outro mal. Frutas, verduras, legumes, cereais integrais, leguminosas e carnes magras devem ser priorizados, já alimentos como ricos em gordura, enlatados, refrigerantes, doces e industrializados em geral devem ser evitados.

Manter o peso também é essencial. Engordar e emagrecer torna a pele mais flácida.

Para estimular a produção de colágeno a alimentação deve ser rica em vitamina C (laranja, acerola, mexerica, goiaba, morango, caju) e líquidos, já que uma pele desidratada perde brilho e elasticidade. E em alimentos de origem animal, tais como carnes, frango, peixe e a gelatina. Estes contêm colágeno e proteínas, que ao serem digeridas fornecem aminoácidos fundamentais para a manutenção dos músculos e sustentação da pele.  



Alguns estudos sugerem que o consumo de colágeno possa manter o tônus muscular e a pele firme. Porém, ainda não existe um consenso se a ingestão desses suplementos realmente seja benéfica para atenuar a flacidez.

Texto elaborado por: Patrícia Bertolucci

Nutricionista pela Universidade Federal de Goiás – UFG.

Assessoria a Clubes e Empresas ligadas ao esporte ou com interesse em qualidade de vida.

Responsável pela empresa Patrícia Bertolucci Consultoria em Nutrição.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.