domingo, 26 de março de 2017

Pitaia



A Pitaia é pertencente à família Cactaceae uma fruta conhecida mundialmente como a Fruta do Dragão por ser considerada uma fruta exótica e rústica, além disso, consta com uma aparência muito atraente. No Brasil, mesmo surgindo como novidade é encontrada no cerrado e atualmente há diversas produções na região Sudeste, como no Estado de São Paulo.

A origem dessa fruta é dada pelas regiões de florestas tropicais do México, América Central e América do Sul. Há diversas variedades de Pitaia, como a Hylocereusundatus, que possuem casca vermelha e polpa branca; a Hylocereus costaricensis, com a casca vermelha e a polpa vermelha e a Selenicereusmegalanthus, com casca amarela e cheia de espinhos e a polpa branca. Sendo que, as mais cultivadas são a H. undatus e a S. megalanthus.

O sabor da pitaia é agradável e adocicado, o que atrai ainda mais as pessoas para o consumo dessa fruta, além do seu aspecto visual bastante diferente. Por esse motivo as pitaias podem ser consumidas tanto na forma in natura, consumo da polpa, como também sob a forma de geleias, refrescos e doces produzidos a partir da polpa. Existe também no mercado bebida tônica a base deste fruto.

Algumas propriedades funcionais da Pitaia


Segundo conhecimentos populares, a Pitaia possui ações benéficas em pessoas que possuem gastrite, ajuda a reduzir os níveis de colesterol, diminui a pressão arterial, também ajuda na prevenção de câncer de cólon e nos problemas renais. Esses benefícios são devidos, principalmente, ao elevado teor de vitaminas e à ação laxativa.

Estudos revelaram que a fruta possui alto teor de fibras em sua polpa, auxiliando nos processos digestivos do organismo. Além disso, contém baixo teor calórico, mas não há registros desse teor. A fruta também apresenta alta atividade antioxidante em função da betacianina, um dos pigmentos presentes nas pitaias e que conferem a coloração característica.

São ricas em polifenois, como os flavonoides amarelos e as antocianinas, que ajudam na prevenção de doenças caridovasculares, neurodegenerativas, cânceres, entre outras doenças, principalmente em função da elevada capacidade antioxidante. Porém, a quantidade de polifenois é diferente para cada variedade de Pitaia, sendo que a de polpa vermelha é a que tem maior quantidade destes polifenois. 


Ainda, estudos mostraram que a pitaia é fonte de betacaroteno, licopeno e possui ácidos graxos essenciais como o ômega 3 e ômega 6 ( ácido linolênico e ácido linoleico, respectivamente).

A pitaia pode ser uma boa opção para consumir no verão, pois é uma fruta muito refrescante e saborosa e, além disso, possuem compostos que podem ser benéficos ao nosso organismo.





As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Aranha, JB. Pitaia: a fruta do dragão. Grupo de Estudos em Alimentos Funcionais – GEAF, ESALQ/USP. Disponível em: www.grupoalimentosfuncionais.blogspot.com.br

Lima, CA. Caracterização, Propagação e MelhoramentoGenético de Pitaya Comercial e Nativa do Cerrado. Tese de Doutorado. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/12930/1/2013_Cristiane%20Andrea%20de%20Lima.pdf>

Faleiro, F. G.; Lima, CA. DE.; Cohen, K. de O.; Junqueira, N. T. V.; Bellon, G.; Castelo Branco, M. T.; Fuhrmann, E.; Leão, A. J. P.; Oliveira, R. R. Caracterização físico-química e de compostos funcionais em frutos de pitaya. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, V.21, 2010. Natal: SBF, 2010.

Wu, L., Hsu, H., Chen, Y., Chiu C., Lin, Y., Ho, J. A. Antioxidant and antiproliferative activities of red pitaya. FoodChemistry, 95, 319-327, 2006.

Ariffin, A. A., Bakar, J., Tan, C. P., Rahman, R. A., Karim, R., LOI, C. C. Essential fatty acids of pitaya (dragon fruit) seed oil. FoodChemistry, 114, 561-564, 2009.
Postar um comentário