segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Aminoácidos




Entre os 21 aminoácidos essenciais, vários devem estar presentes na dieta para satisfazerem as necessidades do organismo, enquanto outros não; em conseqüência, a qualidade nutricional das proteínas pode ser determinada pelo tipo e pela quantidade de seus aminoácidos.

Os aminoácidos representam a unidade estrutural básica das proteínas, sendo que todas as proteínas são formadas a partir da ligação em seqüência de apenas 20 aminoácidos. A união de dois aminoácidos forma um dipeptídeo, três aminoácidos, um tripeptídeo, podendo uma proteína ter 400 ou mais aminoácidos. Os aminoácidos das proteínas se unem um ao outro em uma seqüência predeterminada geneticamente.


Alguns aminoácidos são classificados como essenciais porque sua síntese no organismo é inadequada para satisfazer as necessidades metabólicas e devem ser fornecidos como parte da dieta. Esses aminoácidos são: treonina, triptofano, histidina, lisina, leucina, isoleucina, metionina, valina, fenilalanina e, possivelmente, arginina. A ausência ou inadequada ingestão de alguns desses aminoácidos resulta em balanço nitrogenado negativo (perda de nitrogênio pelo organismo), perda de peso, crescimento menor em crianças e pré-escolares e sintomatologia clínica.

Os aminoácidos não-essenciais alanina, ácido aspártico, asparagina, ácido glutâmico, glicina, prolina e serina são igualmente importantes na estrutura protéica; no entanto, se houver deficiência na ingestão de um deles, ele poder ser sintetizado em nível celular a partir de aminoácidos essenciais ou de precursores contendo carbono e nitrogênio.


Aminoácidos conhecidos como condicionalmente essenciais são aqueles que podem ser essenciais em determinadas condições clínicas. É o caso da taurina, da glutamina, da cisteína e, possivelmente, da tirosina, que podem ser condicionalmente essenciais em crianças prematuras.
 
Não há reserva de aminoácido livres ou proteína no organismo; qualquer quantidade acima das necessidades para a síntese protéica celular e para a dos compostos não-protéicos, que contêm nitrogênio, será metabolizada.

Funções dos aminoácidos

            Quase todos os aminoácidos têm certas funções específicas no organismo, além de participarem da síntese das proteínas (vide post sobre proteínas). No quadro abaixo, destacamos os aminoácidos e suas respectivas funções.

Quadro 1. Funções dos aminoácidos.



Fenilalanina
É um aminoácido essencial usado para produzir diversos aminoácidos úteis.
Triptofano
É um aminoácido essencial usado para produzir diversos aminoácidos úteis.
Valina, Leucina e Isoleucina
Todos estes 3 aminoácidos são chamados aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA´s). Eles desempenham funções importantes no aumento das proteínas e atuam como fonte de energia durante os exercícios. (aminoácidos essenciais).
Metionina
É um aminoácido essencial que é usado para produzir diversas substâncias necessárias à nutrição, à resposta imunológica e à defesa contra agressões.
Treonina
É um aminoácido essencial usado para suplementação de proteínas de cereais.
Lisina
É um aminoácido essencial representativo e tende a ser insuficiente em dietas concentradas em trigo e arroz.
Glicina
É usado para produção da glutationa e porfirina, um componente da hemoglobina.
Prolina
É o principal componente do “colágeno”, que constitui a pele e outros tecidos. Atua como fonte de energia de rápida atuação.
Tirosina
É usado para produzir diversos aminoácidos úteis e é chamado aminoácido aromático, junto com a fenilalanina e o triptofano.
Serina
É usado para produção de fosfolipídios e ácido glicérico.
Cisteína
Sintetizado no organismo a partir do aminoácido metionina. Componente catalítico para muitas enzimas, contribui para a estrutura da proteína. Sua deficiência é comum em crianças, pois a capacidade de síntese não é suficiente.
Taurina
Sintetizada no fígado e no cérebro, a partir dos aminoácidos metionina e cisteína. Está envolvida em diversos processos biológicos, como inibição do estresse oxidativo, imunomodulação, diabetes, aterosclerose, osmorregulação e formação de sais biliares. Recém-nascidos e crianças necessitam de taurina exógena, pois há baixa atividade das enzimas necessárias para a sua síntese na infância. No adulto, devido a baixa atividade enzimática para a sua síntese, o cérebro necessita de taurina exógena.
Arginina
É um aminoácido necessário para manter as funções normais das vias sanguíneas e da resposta imunológica contra infecções.
Histidina
É um aminoácido essencial (recentemente, muitos cientistas a têm considerado como um aminoácido essencial) usado para produzir histamina (composto que causa vasodilatação no sistema circulatório) e outros componentes.
Glutamina
É um aminoácido necessário para manter as funções normais do trato intestinal e dos músculos, bem como da defesa imunológica.
Alanina
É um aminoácido importante que atua como fonte de energia para o fígado.
Ácido aspártico




Ácido glutâmico
Presente em grandes quantidades no aspargo. É uma fonte de energia de rápida atuação.
Presente em grandes quantidades no trigo e soja. É uma fonte de energia de rápida atuação.
Asparagina
É um aminoácido localizado próximo ao ciclo do Ácido Tricarboxílico (local de geração de energia) junto com o ácido aspártico.

Fonte: Gallo,LA. ESALQ/USP.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Gallo, LA. Aminoácidos e proteínas. Disponível em: www.docentes.esalq.usp.br. Acessado em 25/11/2012.

Tirapegui, J. Nutrição: fundamentos e aspectos atuais. 1 ed. São Paulo: Atheneu, 2002. p. 10-11.
Postar um comentário