segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Como fazer as compras de mercado?



Na hora da compra dos alimentos é importante ser exigente quanto à qualidade, para ter certeza que após o preparo você estará consumindo um alimento seguro, ou seja, livre de contaminantes de natureza química (pesticidas, aditivos químicos e etc.), biológica (micro-organismos) ou física (vidros, pedras e etc.) que possa acarretar problemas à sua saúde.

A contaminação dos alimentos pode ocorrer a qualquer instante (produção, armazenamento, comercialização) e geralmente ocorre por falhas múltiplas, incluindo: manipulação, refrigeração inadequada, processamento térmico insuficiente entre outros.

Algumas medidas de segurança ajudam a prevenir e minimizar a ação dos micro-organismos:

● Procure enlatados sem entalhes ou rachaduras e tampas inchadas;

● Evite pacotes abertos, rasgados ou danificados;

● Cheque a data de fabricação e validade do produto;

● Compre só as frutas e legumes mais frescos, dê preferências para os da época, pois são mais baratos;

● Selecione carne vermelha, aves e peixes, frescos;

● Selecione comidas refrigeradas frias e comidas congeladas;

● Compre alimentos preparados, observando se aqueles que são frios estão frios e os que são quentes estão quentes;

● Checar, abrindo as embalagens de ovos, se existem alguns rachados ou quebrados;

● Produtos congelados devem ser os últimos a serem pegos.

            Deve-se observar a temperatura nos balcões de refrigeração. Procure saber se há um termômetro para verificar se marca no máximo 7ºC. Verifique também se este não apresenta água acumulada, placas de gelo na superfície ou embalagens transpiradas, pois pode indicar temperatura inadequada ou superlotação do equipamento. Comprar produtos que sofreram alteração na temperatura pode comprometer sua vida útil em todos os aspectos: textura, sabor, odor, etc.

            É necessário, para a aquisição de produtos seguros, que os alimentos perecíveis sejam adquiridos por último e levados ao refrigerador o mais breve possível. Os produtos de origem animal (carnes, leite, etc.) devem apresentar o carimbo do Serviço de Inspeção Federal (SIF), que garante a qualidade e origem do produto. Alimentos industrializados devem conter no rótulo a data de validade, peso ou volume, ingredientes, composição nutricional, origem, dados do importador (caso seja importado) e instruções de uso.

            Observe as características do alimento antes de usá-lo, mesmo que esteja dentro da data de validade. Não consuma produtos que apresentem sinal de alteração de cor, textura, odor ou com embalagens abertas, amassadas, enferrujadas, estufadas ou com vazamentos que sinalizam contaminações microbiológicas ou químicas.

            Também preste atenção às condições gerais de higiene do estabelecimento. Este não deve ter resíduos de alimentos, insetos, etc. e os funcionários que manipulam os alimentos devem estar com uniforme de cor clara, limpo e conservado, e com os cabelos protegidos com touca ou rede.


Supermercado – Casa


            Após as compras vá direto para casa. Nunca as deixe no carro ou sob o sol, pois poderão perder sua qualidade ou estragar. Se receber as compras em casa, verifique se os produtos refrigerados estão frios e os congelados com a consistência firme. Caso isto não aconteça, reclame e devolva ao estabelecimento o produto. Ao chegar em casa, guarde rapidamente os alimentos refrigerados, em seguida os congelados e por último, os que serão armazenados sob temperatura ambiente.

            Algumas dicas para o transporte dos alimentos do supermercado para casa são:


● Não deixe aves, peixe e carnes cruas e seus sucos em contato com outras comidas. Manter em sacolas plásticas separadas;

● Coloque comidas congeladas juntas, em sacolas plásticas, para manter o frio;

● Comidas prontas para consumo não devem ter possibilidade de contato com carnes, aves, peixes ou alimentos crus. Isso contaminaria esses produtos;

● Não guarde alimentos junto com produtos de limpeza nas sacolas plásticas;

● Durante o tempo quente e se você for demorar mais de uma hora para chegar em casa, trazer uma caixa de isopor ou embalagem térmica para transportar as comidas frias e congeladas, evitando assim que elas se deteriorem no caminho de casa.

            Os alimentos que oferecem maior risco são os ricos em proteínas e água, pois os micro-organismos se alimentam destes nutrientes e se multiplicam, principalmente, à temperatura ambiente. Os cuidados maiores se voltam para as carnes e os ovos. As carnes devem ser armazenadas em temperaturas de 0ºC a 4ºC.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referência Bibliográfica:



Doimo, AMS; Limonge, AC. Como fazer uma “compra segura”. Grupo de Extensão em Segurança dos Alimentos – GESEA. Disponível em: www.esalq.us.br Acessado em: 16/01/2013.



Figueiredo, RM. Guia prático para evitar DVA – Doenças Veiculadas por Alimentos. 2 ed. Editora Manole: São Paulo, 2002, p. 48-50.

Postar um comentário