segunda-feira, 11 de março de 2013

História Recente da Atenção Básica e o Nutricionista neste Contexto

Objetivo: O presente texto se propõe a apresentar o contexto da saúde pública, traçando um panorama no Brasil, desde as primeiras ações coletivas, até os dias atuais, onde presenciamos a universalização do acesso a saúde e a implantação dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família (NASFs), enfocando na atuação do nutricionista dentro desta nova proposta de intervenção em saúde.

Parte 1: A saúde pública brasileira

Contextualização: Os serviços de saúde quando considerados determinantes diretos em sua qualidade podem ter um papel na melhora do estado geral da saúde de uma sociedade. Com base na teoria, é provável que a obtenção de efetividade e eqüidade exija que o sistema de saúde tenha uma forte orientação de atenção primária (Starfield, 2002).

Atenção Básica a Saúde – Modelo brasileiro

Dados da Atenção Básica
(Departamento de Atenção Básica – DAB, Out./ 2011)

32.337 Equipes Saúde da Família no Brasil
1024 município de São Paulo

Estratégia Saúde da Família:  modelo de sucesso na Atenção Primária à Saúde, segundo estudo realizado em centros de saúde pública de zonas urbanas e rurais em 19 estados do território nacional, entre os meses de abril a junho deste ano (Gervas, 2011; Brasil, 2011).


NASF:  Núcleo de Apoio a Saúde da Família

Criado através da portaria 154/ 2008 do Ministério da Saúde em 25/01/2008, com o objetivo de apoiar à inserção da Estratégia Saúde da Família na rede de serviços, ampliar a abrangência, a resolutividade, a territorialização, a regionalização, assim como a ampliação das ações da APS no Brasil. Dados de setembro de 2010 apontavam 1525 equipes cadastradas (Brasil, 2008; Brasil, 2010).

Parte 2: A ciência da nutrição e o nutricionista

Definição da ciência da Nutrição:  área de estudo que se ocupa dos alimentos, nutrientes e outros componentes (bioativos), ação, interação e balanço em relação à saúde e a doença, bem como os processos fisiológicos tais como: ingestão, transporte, utilização, digestão dos alimentos e excreção dos resíduos.

A ciência da Nutrição – Histórico

  Grécia Antiga: Hipócrates;
  Primeira Guerra Mundial: centros de estudos e pesquisas, cursos de formação;
  América Latina: Argentina (Pedro Escudero);
  Brasil:  Higiene Alimentar (Eduardo Magalhães,  1908), os estudos de 1906 de Álvaro Osório de Almeida, as pesquisas de Gama Lobo (Avitaminose A) e de Nina Rodrigues (farinha de mandioca).

Atuação do Nutricionista na Atenção Básica

  Identificação dos hábitos alimentares da população e dos grupos de risco nutricional;
  Ampliação do Programa de Combate às Carências Nutricionais;
  Monitoramento nutricional de gestantes;
  Promoção de práticas alimentares saudáveis;
  Incentivo ao aleitamento materno exclusivo (até o sexto mês) e misto (até os dois anos).

Atuação no Nutricionista no NASF
  1. Promover práticas alimentares saudáveis, individuais e coletivas;
  2. Contribuir com a construção da estratégia para resposta as principais demandas assistenciais acerca dos distúrbios alimentares;
  3. Desenvolver  Projeto Terapêutico Singular, principalmente nas  Doenças e Agravos Não Transmissíveis;
  4. Realizar diagnóstico alimentar e nutricional da população;
  5. Promover segurança alimentar e nutricional.

Conclusão: O nutricionista é um profissional extremamente relevante no contexto da Atenção Básica em nosso país, promovendo  informações sobre alimentação, técnicas dietéticas saudáveis, aproveitamento integral dos alimentos.  No contexto do  NASF, realiza capacitações para profissionais da Estratégia Saúde da Família, disseminação do conhecimento sobre alimentação saudável e práticas nutricionais benéficas para a comunidade,  melhoria das condições de saúde da população e o desenvolvimento econômico. Para a efetivação deste trabalho faz-se possível quando o profissional estabelece um vínculo verdadeiro e conhece as demandas da  comunidade que apóia.


As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Bibliografia

1.    Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde, 726p., 2002.
2.    Gervas J, Fernandez MP. Cómo construir una atención primaria fuerte em Brazil? Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. Disponível em: http:// WWW.sbmfc.org.br/default.asp?site_Acao=MostraPagina&PaginaId-524  <acesso em 15/11/2011>
3.    Ministério da Saúde (BRASIL). Departamento de Atenção Básica. Sala de Situação em Saúde. Disponível em http://189.28.128.178/sage/. Acessado em 15/11/2011.
4.    Ministério da Saúde (BRASIL). Portaria nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família-NASF, e dá outras providências. Diário Oficial da União 2008; 4 mar.
5.    Ministério da Saúde (BRASIL). Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Diretrizes do NASF: Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Brasília: 2010.

Texto elaborado por: Caroline L. Codonho Castro
                                    Nutricionista pelo Centro Universitário São Camilo
                                   Especialista em Fisiologia em Metabolismo com ênfase em Atividade Física e Nutrição pela Universidade de São Paulo.
                                   Especialista em Saúde da Família e Comunidade pela Instituição de Ensino e Pesquisa Albert Einstein
Postar um comentário