quarta-feira, 3 de junho de 2015

Quitosana



          O crescente aumento da prevalência de pessoas com sobrepeso tem preocupado os órgãos federais em todo mundo, visto que a obesidade já é considerada um problema de saúde pública mundial.

      Segundo dados da pesquisa do Ministério da Saúde, Vigitel 2014, o excesso de peso atinge 52,5% da população adulta do país. Os quilos a mais na balança são fatores de risco para doenças crônicas, como as do coração, hipertensão e diabetes.

            Os alimentos funcionais apresentam grandes propriedades nutricionais em combinação com componentes biologicamente ativos que previnem os distúrbios biologicamente ativos que previnem os distúrbios metabólicos causadores de morte ou doenças. Ações dos alimentos funcionais no organismo:

Fisiologia do Trato Digestivo: funções associadas à flora bacteriana, imunidade, biodisponibilidade de micronutrientes, modulação da proliferação epitelial;

Sistema Antioxidante: defesa contra o estresse oxidativo, através de determinadas vitaminas, com efeito protetor contra a aterosclerose, alguns tipos de câncer e o envelhecimento;

Metabolismo de Macronutrientes: redução de efeitos patológicos decorrentes da resistência à insulina, prevenindo doença cardiovascular por reduzir a glicemia e colesterolemia.

Quitosana

            A quitosana é um polissacarídeo (carboidratos mais complexos compostos por dez a 10 mil unidades de monossacarídeos) presente em fungos, leveduras, exoesqueleto do camarão, lagosta e caranguejo. Não é solúvel em água, em solventes orgânicos e em bases, mas é solúvel na maioria das soluções de ácidos orgânicos com pH inferior a 6 e difere das outras fibras por conter um grupo amino.

Apresenta propriedades antimicrobianas e estimulantes do sistema imune, as quais são manifestadas na aceleração de cicatrização de feridas. Outras propriedades que estão presentes na quitosana incluem: inibição de células tumorais, efeito antifúngico, atividade antiácida e antiúlcera, ação hemostática e hipocolesterolêmica.

A quitosana tem sido extensamente estudada como um aliado no emagrecimento. No entanto, a evidência de que a quitosana irá resultar em perda de peso clinicamente significativa é mínima. A primeira metanálise publicada foi em 2005, que reuniu os resultados de 14 estudos clínicos que suplementaram em média 3,7 g/dia de quitosana com duração média de 8,6 semanas. Eles verificaram que a suplementação produziu uma maior perda de peso (1,7 kg) do que no grupo placebo. No entanto, a maioria desses estudos associou a suplementação de quitosana com dieta hipocalórica, e quando a suplementação foi analisada isoladamente, no entanto, a perda de peso foi reduzida para 0,88 kg. Em 2008, outra metanálise, também descobriu que a quitosana resultou em uma perda de peso maior do que no grupo do placebo, mas concluiu que a maioria dos estudos não foram bem conduzidos, sendo eles de curta duração e com pequeno número de indivíduos. A perda de peso na média de 0,8 kg nos estudos com duração superior a 4 semanas  foi atribuída à quitosana.

         O aumento da excreção fecal de gordura, verificado em estudos com animais, geralmente utilizam dosagens muito elevadas de quitosana, cerca de 15 a 22 vezes mais do que o equivalente à recomendação para humanos (2 a 3g/dia); sendo que estas altas dosagens proporcionaram resultados não desejáveis, como por exemplo: menor crescimento em animais, redução da vitamina E plasmática, síndrome de má absorção e etc.

            É importante lembrar que o uso prolongado de inibidores de absorção de gordura pode causar várias alterações indesejáveis, principalmente relacionadas ao metabolismo lipídico, e que causam danos a saúde tais como, carência das vitaminas lipossolúveis, esteatose hepática (pelo acúmulo de gordura no fígado proveniente da redução de quilomícrons circulantes), hiperlipidemias, entre outros. Assim são necessárias mais pesquisas sobre esse tema.



As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Castro, RCB. Os suplementos que inibem a absorção de carboidratos e lipídios promovem a perda de peso? Disponível em: www.nutritotal.com.br

Damian, C; Beirão, LH; Francisco, A; Santo, MLPE; Teixeira, E. Quitosana: um amino polissacarídeo com características funcionais. Alim Nutr 2005; v.16, n.2, p.195-205.

Mourão, DM; Monteiro, JBR; Costa, NMB; Stringheta, PC; Minim, VPR; Dias, CMGC. Perda de peso relacionada a substâncias com alegação funcional. Rev Soc Bras Alim Nutr 2004; v.27, p.103-118.

Pasqualotto, AP. Funcionalidade da fibra alimentar em barras de cereais. [Trabalho de Conclusão de Curso]. Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, 2009.

Vigitel 2014: Obesidade estabiliza no Brasil, mas excesso de peso aumenta. Ministério da Saúde. Disponível em: www.portalsaude.saude.gov.br
Postar um comentário