quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Repositores Hidroeletrolíticos



A prática de atividade física eleva a temperatura corporal o que faz com que o corpo transpire tentando levar o organismo a homeostase. Pelo suor o indivíduo elimina água e sais minerais e dependendo da intensidade da perda pode levar à desidratação.

A fim de evitar a desidratação e consequente diminuição no rendimento e fadiga muscular durante os exercícios recomenda-se a utilização de repositores hidroeletrolíticos ou isotônicos. Estes possuem em sua composição além de água, sais minerais como sódio, cloreto e potássio (importantes para contração muscular e consequente redução de câimbras) e carboidratos (importantes para manutenção da glicose sanguínea) responsável pela melhora no rendimento, uma vez que o músculo necessita de glicose como fonte energética.

Abaixo função de cada componente dos repositores hidroeletrolíticos:

● Sódio e Cloreto - Sódio e cloreto estão presentes predominantemente nos líquidos extracelulares e participam na manutenção da pressão osmótica dos fluidos corporais. A adição de sódio à água aumenta a absorção de fluidos, o que ocorre em maior proporção na presença de carboidratos.

● Potássio – íon mais encontrado nos fluidos intracelulares e, assim como o sódio, está largamente combinado ao cloro e também contribui para a manutenção da pressão osmótica e balanço ácido-básico do sangue. Recomenda-se baixos teores de potássio nas bebidas consumidas após sudorese intensa, para aumentar a retenção de água no espaço intracelular.

● Carboidratos – estudos indicam que a concentração de glicogênio muscular (carboidrato estocado no músculo) se esgota após 50-60 minutos do início do exercício, sendo assim a reposição de carboidratos é fundamental para aumentar os níveis de glicose sanguínea e consequente aumentar o rendimento e diminuir a fadiga durante exercícios acima de 1 hora.

● Vitaminas – sabe-se que muitas vitaminas têm papel importante no metabolismo energético e de recuperação dos atletas. Principalmente vitaminas antioxidantes como C e E, e vitaminas relacionadas ao metabolismo como as do complexo B.

As bebidas isotônicas devem apresentar o mesmo número de partículas osmoticamente ativas que o plasma (sangue), ou seja, ter uma osmolalidade na faixa de 280 a 300 mOsmol/kg para que assim a bebida seja rapidamente absorvida após o consumo. Os produtos formulados para fins de reposição hidroeletrolítica devem apresentar concentrações de sódio (138 e 460mg/200ml) e carboidratos (6 a 10% de concentração), outros minerais como potássio, cálcio, magnésio e vitaminas são opcionais.

Recomenda-se que estes repositores sejam consumidos após a primeira hora de exercício (500ml/hora), antes disso o consumo apenas de água (150 a 200ml de água em intervalos de 20 minutos) é adequado para hidratação. Acima de uma hora ou sob temperatura elevada faz-se necessário o uso da bebida isotônica aliada a outras formas de suplementação, de acordo com orientação profissional. Vale a pena ressaltar que a água de coco, por exemplo, é considerada um isotônico natural, por ser rica em potássio e sódio e possuir carboidratos (glicose).

A ingestão adequada de líquidos (água e outras bebidas) para indivíduos de 19 a 30 anos deve ser de 3,0 litros/dia (homens) e 2,2 litros/dia (mulheres). Entretanto, para indivíduos fisicamente ativos e que são expostos a altas temperaturas, as necessidades diárias de líquidos ultrapassam estes valores (INSTITUTE OF MEDICINE, 2004). Atletas, por exemplo, durante períodos de treino pesado e suor abundante, devem estimar sua ingestão de líquidos pela diferença entre o peso corporal antes e após a atividade, verificando a quantidade de água que foi perdida durante o esforço físico.

Ressalta-se que atualmente vemos o consumo indiscriminado dos isotônicos / repositores hidroeletrolíticos uma vez que estes são consumidos como um líquido diário, sem que o indivíduo pratique atividade física. Por conterem sais minerais em sua composição o uso dos repositores sem a prática de atividade física pode desregular a concentração de mineras no sangue o que pode levar o organismo a retenção de líquidos para tentar equilibrar (dissolver) a alta concentração de eletrólitos.

Por fim cabe aos consumidores ficarem bem informados e fazer escolhas mais adequadas, minimizando, portanto, a influência da propaganda em suas decisões. Os repositores hidroeletrolíticos, bebidas com função específica de repor água, carboidratos e sais minerais perdidos durante a atividade física devem ser consumidos prioritariamente com este fim.

Texto elaborado por: Karina Valentim

Nutricionista formada pelo Centro Universitário São Camilo.

Pós-graduada em Nutrição Clínica, Metabolismo, Terapia Nutricional  e Fitoterapeuta pela FAPES.

Atua como nutricionista clínica e esportiva na Patricia Bertolucci Consultoria em Nutrição.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.




Postar um comentário