segunda-feira, 15 de abril de 2013

Minerais



Dentre os nutrientes necessários à vida, assim como existem as proteínas, lipídios e vitaminas, há um grupo de elementos inorgânicos que exercem diversas funções e que genericamente se denominam minerais. Eles não podem ser sintetizados pelo organismo e devem, portanto, ser obtidos de fontes exógenas.

Tendo em vista que estes elementos se encontram naturalmente nos alimentos, a alimentação constitui uma das principais vias de ingestão. Os minerais são úteis a uma variedade de funções, tais como co-fatores em reações catalisadas por enzimas, na regulação do balanço ácido-base, no impulso nervoso, atividade muscular e como elementos estruturais do corpo.

            Os minerais são tão úteis quanto as vitaminas para o crescimento e desenvolvimento do organismo. Deve-se sempre ter em mente que cada mineral é requerido pelo organismo humano em quantidades específicas, e que o excesso de um pode acarretar a diminuição dos níveis de outro.

Macrominerais e Microminerais

          Os macrominerais essenciais, ou seja, os minerais necessários em quantidades de 100mg ou mais por dia, são: cálcio, fósforo, sódio, potássio, cloro, magnésio e enxofre. São aqueles presentes no organismo em quantidade maior do que 5g/60kg de peso.

         Os microminerais essenciais, ou seja, os minerais necessários apenas em pequenas quantidades, alguns miligramas ou microgramas por dia, são: ferro, cobre, cobalto, zinco, manganês, iodo, molibdênio, selênio, flúor e cromo.

Como nutrientes essenciais, devem ser fornecidos ao organismo pela alimentação. Alguns, como o potássio, são facilmente absorvidos e eliminados pelos rins. Outros, como o ferro, têm sua absorção sujeita a um controle que depende da quantidade armazenada.

Com a mudança do estilo de vida em nossa sociedade ocidental, houve uma redução do consumo de energia e os micronutrientes passaram a ser ingeridos por alguns grupos populacionais em quantidades inadequadas. As deficiências nutricionais de algumas vitaminas e minerais como a deficiência de vitamina A e a anemia por deficiência de ferro surgiram como graves problemas de saúde pública do século XX.

        No quadro abaixo, encontramos os valores de RDA (Quota Diária Recomendada) e ESADDI (Estimated Safe and Adequate Daily Dietary intake-Estimativa segura e adequada ingestão dietética diária) dos minerais.

Minerais
RDA ou ESADDI para adultos.
Cálcio
800mg para homens
1.200mg para a mulher entre 19-24 anos
Fósforo
800mg para homens
1.200mg para a mulher entre 19-24 anos
Magnésio
350mg para o homem
280mg para a mulher
Sódio
500-3.000mg
Cloro
750-3.000mg
Potássio
2.000mg
Enxofre
Necessidade de enxofre é suprida por aminoácidos essenciais (vide post sobre aminoácidos) que contêm enxofre.
Ferro
10mg para o homem
15mg para a mulher
Zinco
15mg para o homem
12mg para a mulher
Cobre
1,5-3,0mg
Iodo
150µg
Manganês
2,5-5,0mg
Flúor
1,5-4,0mg
Molibdênio
75-250µg
Cobalto
2,0µg de vitamina B12
Selênio
70µg para o homem
55µg para a mulher
Cromo
0,05-0,20mg
Fonte: Tirapegui, 2002



Funções e Fontes Alimentares




As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.


Referências Bibliográficas:

Bianchi, MLP; Ruz, M; Francescatto, HDC; Tirapegui, J. Minerais. Nutrição: Fundamentos e Aspectos Atuais. 1 ed. São Paulo: Atheneu, 2002, p. 77-96.

Colli, C; Mari, ETL; Sardinha, FAA. Minerais na atividade física: cálcio, magnésio, ferro, zinco e cobre. Nutrição, metabolismo e suplementação na atividade física. 1ed. São Paulo: Atheneu, 2005, p.73-96.

Cuppari, L. Nutrição Clínica no Adulto. Guias de Medicina Ambulatorial e Hospitalar –Unifesp, 2006.

Mahan, LK; Stump, SE. Alimentos, nutrição e dietoterapia. 10 ed. São Paulo: Rocca, 2003. p.106-145
Postar um comentário