domingo, 28 de dezembro de 2014

Síndrome Nefrótica



Síndrome caracterizada por proteinúria (perda de proteína pela urina) superior a 3,5g/1,73m² de superfície corpórea nas 24 horas em adultos, ou maior do que 50mg/kg/dia em crianças, hipoalbuminemia e edema. É uma dificuldade dos rins em filtrar as proteínas.


É uma doença crônica e muitas vezes acontece na infância. Pode ocorrer em qualquer criança, mas é mais comum nos meninos entre as idades de 1,5 a 4 anos.

Uma das maneiras de perceber é o inchaço abdominal e também nas pálpebras pela manhã e nos tornozelos depois que a criança anda. Mas, para ter certeza, só com diagnóstico médico que além dos sintomas clínicos solicita exames ambulatoriais.


Manifestações Clínicas

● Redução das proteínas séricas (albumina < 2,5g/dl), levando o paciente a um quadro de anasarca (edema generalizado) e hipovolemia (redução do volume sanguíneo);

● Pressão arterial – geralmente encontra-se dentro dos limites de normalidade;

● Diurese – diminuída devido à maior retenção de água e sódio, como mecanismo de compensação da hipovolemia;

● O lipidograma revela aumento de colesterol e triglicerídeos, o que parece ter uma relação direta com a hipoalbuminemia, já que, na tentativa de repor as perdas proteicas, o hepatócito (células do fígado) também produz lipoproteínas de muito baixa densidade (VLDL) e albumina, pois ambas têm a mesma via de síntese na referida célula.

Tratamento Dietético

● Líquidos: é recomendável fazer balanço hídrico. A restrição hídrica somente estará indicada se houver comprometimento nefrítico, caracterizado pelo aumento da pressão arterial;

● Lipídios: a restrição de gordura está indicada se houver persistência de níveis elevados de colesterol e triglicerídeos, já que na fase aguda da doença espera-se uma elevação destes em decorrência da hipoalbuminemia. Após a fase aguda, se os níveis ultrapassarem o dobro dos valores esperados para a idade, passam a representar maior risco para a formação de ateromas, o que justifica a restrição dietética;

● Proteína: quando a síndrome nefrótica está instalada há muito tempo, pode ocorrer desnutrição proteica. Não há indicação de dieta hiperproteica, já que as perdas de proteína pela urina são inevitáveis enquanto houver uma permeabilidade glomerular aumentada. Além disso, a oferta excessiva de proteínas pode representar maior risco de lesão glomerular. A ingestão de proteínas deve atender às recomendações para a idade e sexo;

● Carboidratos: oferta normal para a idade, representam cerca de 50-60% do valor energético total da dieta;

● Vitaminas e minerais: oferta de acordo com as recomendações para a idade e sexo, ou conforme carências nutricionais específicas observadas clínica ou bioquimicamente;

● Sal: a restrição de sal é feita para o controle do edema, inchaço, e em situações mais graves, também as quantidades de água. Já o potássio, deve estar presente na dieta, acima de 6 gramas por dia , o que se aproxima de duas bananas. Porém, se houver insuficiência renal aguda, diminuição na produção de urina, o potássio também deve ser restrito (1,5 - 2,0 gramas / dia).

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Texto elaborado por: Sheila Basso e Nicole Trevisan
Nutricionista CRN3 33698
Educadora em Diabetes pela SBD/IDF
Mestranda em ciências pela Faculdade de Medicina da USP
Nutricionista na ADJ Diabetes Brasil em atendimento e curso de contagem de carboidratos
  
Referências Bibliográficas:


Costa, VM. Síndrome Nefrótica. In: Práticas de nutrição pediátrica. 1 ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2002.

Kirsztajn, GM; Pereira, AB. Nefroses e Nefrites. In: Guia de medicina ambulatorial e hospitalar de nefrologia. 2 ed. Barueri, SP: Manole, 2005.

Ribeiro, RLR; Rocha, SMM. Enfermagem e família de crianças com síndrome nefrótica: novos elementos e horizontes para o cuidado. Texto Contexto Enferm, 2007; v.16, n.1: p.112-119.

Síndrome Nefrótica. Disponível em: www.rgnutri.com.br Acessado em: 12/12/2014.
 
Postar um comentário