quinta-feira, 26 de março de 2015

Vitamina B12 na Dieta Vegetariana



    A vitamina B12 é o único nutriente que o vegetariano talvez precise complementar, mesmo com uma alimentação bem planejada, pois a vitamina B12 só está presente em quantidade significativa nos alimentos de origem animal. Devemos lembrar que leite, queijos e ovos são de origem animal e contêm essa vitamina. Logo, quem consome esses alimentos regularmente talvez não precise de complementação.

Pessoas que precisam de suplementação

● Gestantes e lactantes (vegetarianas ou não);
● Crianças (vegetarianas ou não);
● Vegetarianos estritos (que não utilizam alimentos fortificados);
● Vegetarianos que utilizam ovos e laticínios com pouca frequência, pois talvez não obtenham a quantidade diária recomendada de vitamina B12.

Vegetarianos e Não Vegetarianos

      Estudos sugerem que cerca de 50% dos vegetarianos apresentam deficiência dessa vitamina. Essa deficiência não depende apenas da ingestão de B12, mas também de como a gastamos e de como conseguimos reciclá-la. Estudos mostram que a população não vegetariana mundial está bastante sujeita a essa deficiência, que atinge 40% da população da América Latina.

Quadro 1. Ingestão de referência de vitamina B12.

Idade
EAR (µg/dia)
RDA (µg/dia)
0-6 meses
-
0,4 AI
7-12 meses
-
0,5 AI
1-3 anos
0,7
0,9
4-8 anos
1,0
1,2
9-13 anos
1,5
1,8
> 14 anos
2,0
2,4
Gestantes
2,2
2,6
Lactantes
2,4
2,8
EAR: necessidade média estimada. / RDA: ingestão dietética recomendada. / AI: ingestão adequada.
Fonte: Cozzolino, 2005.

Deficiência de Vitamina B12








     Essa deficiência tende a se manifestar mais precocemente com sintomas neurológicos, como formigamento nas pernas, perda da percepção vibratória e redução da concentração. Em casos mais avançados pode haver torpor mental e até coma. Há pessoas que têm dores articulares e distúrbios de sono. Podem ocorrer sintomas psiquiátricos, como depressão e transtorno obsessivo compulsivo (TOC), dentre outras manifestações. Sintomas hematológicos, como anemia, tendem a se manifestar mais tardiamente.

Fontes não seguras de vitamina B12

      Algumas formas de vitamina B12 não são ativas no organismo humano, sendo chamadas de “análogos da B12” ou formas “corrinoides”.

Alimentos fermentados: como são bactérias que produzem vitamina B12, surgiu a hipótese de que alimentos fermentados seriam fontes da vitamina. No entanto, esses alimentos não apresentam quantidade significativa dessa vitamina ativa. Ou seja, não são fontes confiáveis de vitamina B12: missô, shoyu, tempeh, levedura de cerveja e pães fermentados biologicamente;

Algas: elas contêm apenas elementos análogos da vitamina B12. Portanto, não são fontes confiáveis de B12: nori, chlorella, wakame, hiziki, kombu, spirulina e as demais algas.

Uso de suplementos de B12
 

     Embora a B12 possa ser estocada no fígado e o estoque talvez leve mais de três anos para se exaurir, é difícil saber como está seu estoque agora. Assim, comece a utilizar a B12 tão logo saiba da sua necessidade para a manutenção da saúde: use diariamente um comprimido ou cápsula que contenham pelo menos 5mcg de vitamina B12. A maioria dos suplementos por via oral disponíveis no mercado contém 10mcg. Não há problema nenhum. Outra alternativa é utilizar a dose semanal de 2.000mcg. Porém, muitas pessoas precisam, para manutenção, de doses maiores do que as aqui sugeridas.

Suplemento ou alimentos?

     A vitamina B12, assim como o ferro, deve ser corrigida sempre de forma medicamentosa. Não se consegue isso apenas com a ingestão de alimentos, pois o teor desses nutrientes nos alimentos, sejam vegetais ou de origem animal, é muito menor do que a dose exigida para correção.

Aos Profissionais de Saúde: solicite a dosagem sérica de vitamina B12 para diagnóstico e acompanhamento da deficiência. Os valores de referência não servem para o diagnóstico. Os valores seguros para manter a B12 sérica ficam acima de 490PG/ML (enquanto a referência do método é de 210 a 940PG/ML.
 
As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.
Referências Bibliográficas:

Cozzolino, SMF; Mafra, D. Vitamina B12 (Cobalamina). Biodisponibilidade de Nutrientes. 1 ed. São Paulo: Manole, 2005, p. 395-403.

Slywitch, E. Tudo o que você precisa saber sobre alimentação vegetariana. Sociedade Vegetariana Brasileira
 

 











 




Postar um comentário