segunda-feira, 19 de junho de 2017

Memória



Existem estudos recentes sobre o papel de certos componentes nutricionais na melhora da função cerebral, destacando-se: os flavonoides, a colina, o ômega-3, as vitaminas do complexo B, a fisetina e a glicose. 

Os Flavonoides são os maiores constituintes de frutas, vegetais e bebidas derivadas de plantas como os chás, vinhos, cacau e sucos de frutas. Destacam-se uma potencial ação neuroprotetora, tendo influência na expressão genética e na regulação de morte celular de neurônios.

A Colina está presente na gema de ovo e na soja. É necessária para a biossíntese de fosfolipídeos das membranas celulares e de um precursor do neurotransmissor acetilcolina que, acredita-se estar envolvido nas funções de aprendizagem e memória. Colina e lecitina (forma de colina livre) têm também sido estudadas como promotores de potencial memória.

O Ômega-3 está presente em peixes de água fria, como a sardinha, o salmão, o atum, a anchova, o arenque e a cavala. Quantidades adequadas de um tipo de ômega-3, o ácido docosahexanoico (DHA), são essenciais para uma ótima função e um bom desenvolvimento do sistema nervoso central. O ácido araquidônico (AA), DHA e acetilcolina hipocampal (Ach) interagem um com o outro e melhoram a memória.

Algumas pesquisas têm focado nos efeitos das vitaminas B6 e B12 sobre a função cognitiva e a memória. As vitaminas do complexo B estão presentes nos grãos integrais, leguminosas, leite e derivados.

A Fisetina é uma substância que induz a diferenciação, ou amadurecimento, de células do sistema nervoso. O processo de maturação desencadeado pela fisetina é importante na formação da memória. A fisetina está presente no morango, no pêssego, na uva, no kiwi, no tomate, na maçã e na cebola.

A Glicose pode atuar no cérebro alterando o metabolismo neural ou síntese de neurotransmissor e é a principal fonte de energia para a atividade neural, que pode ser alterada, assim como o metabolismo cerebral. Os produtos do metabolismo da glicose são substratos para muitos neuroquímicos, incluindo neurotransmissores como acetilcolina, glutamato e ácido gama-aminobutírico, que estão envolvidos na aprendizagem e na memória.

Dicas para Formação e Preservação da Memória:

● Reduza seus níveis de estresse e aumente do consumo de alimentos antioxidantes;

● Dê preferência ao consumo de alimentos naturais (frutas, vegetais e grãos integrais), não industrializados;

● Aumente o consumo de peixes ricos em ômega-3 (sardinha, salmão, atum, anchova);

● Fracione a refeição a cada 3 horas para manter um fornecimento adequado de glicose no cérebro;

● Consuma ovo pelo menos 2 vezes por semana;

● Aumente o consumo de grãos integrais e leguminosas para manter uma ingestão adequada de vitaminas do complexo B.

Texto elaborado por: Patrícia Bertolucci

Nutricionista pela Universidade Federal de Goiás – UFG.

Assessoria a Clubes e Empresas ligadas ao esporte ou com interesse em qualidade de vida.

Responsável pela empresa Patrícia Bertolucci Consultoria em Nutrição.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.
Postar um comentário