segunda-feira, 26 de junho de 2017

Retenção de Líquidos



Se de um dia para o outro você ganhou dois quilos e não sabe o porquê, não consegue mais abotoar seu jeans favorito, seu anel não entra em seu dedo ou seus pés estão espremidos em seu sapato... Você pode estar retendo líquidos.

Retenção de líquidos, como o próprio nome já diz, é uma condição em que o corpo tende a reter água nos tecidos, provocando inchaço no corpo ou em parte dele. Os pés, pernas, mãos e a área abdominal são as áreas mais afetadas. A tensão pré-menstrual é a principal causa de retenção em mulheres, mas tanto em homens quanto em mulheres as causas podem ser variadas. Quanto à origem alimentar, excesso de sal na dieta e a baixa ingestão de líquidos são fatores que podem induzir seu organismo a reter água. Inatividade física e tempo quente também contribuem para a retenção. Outras causas mais graves podem estar associadas com problemas renais, cardíacos ou hepáticos ou doenças da tireoide. Dessa maneira, se o inchaço for persistente por um longo período, recomenda-se a procura médica.

Recomendações Alimentares:

Consuma diuréticos naturais. Frutas e vegetais frescos são ricos em nutrientes e possuem alto teor de água. Quando você aumenta a quantidade de fluidos em sua dieta, naturalmente ocorre a estimulação dos rins para liberar o excesso de água. Melancia, melão, abacaxi e frutas cítricas são ótimas frutas diuréticas, assim como o suco de cranberry. Dentre os vegetais, destacam-se os de folhas verdes, pepino, tomate, pimentão, cenoura e cebola. 



Consuma alimentos ricos em potássio. Potássio é um importante mineral que combate a retenção de fluidos por manter o balanço apropriado de sódio. Quando sentir-se inchado, consuma banana, beterraba, damasco, tomate, melão ou abacate.

Reduza o consumo de alimentos ricos em sódio. Sódio naturalmente retém água no organismo. Evite o consumo de alimentos ricos em sódio, como: embutidos (presunto, mortadela, linguiça e salame), sopas desidratadas, catchup, temperos prontos, alimentos conservados pelo sal (bacalhau, carne seca, charque, etc), vegetais enlatados (como ervilha, milho e seleta de legumes), azeitonas, molhos de tomate industrializados, salgadinhos de pacote, macarrão instantâneo, queijos salgados como mussarela, provolone, prato e parmesão, dentre outros alimentos. Muita atenção também no preparo dos alimentos, seja cauteloso quanto à quantidade de sal adicionada no tempero. Ao invés de sal, procure utilizar ervas frescas, azeite de oliva e limão.

Aumente a ingestão de água. Paradoxalmente, quanto mais água você beber, menos água irá reter. Beba no mínimo 2 litros ou 8 copos de água em intervalos regulares durante o dia.

Consuma alimentos ricos em vitamina B. Várias vitaminas do tipo B são conhecidas por encorajar a liberação de fluidos pelo organismo. Fontes de vitamina B6 são carne de frango, fígado de vaca, peixes como atum (sem ser enlatado, pois contém alto teor de sódio), arenque e salmão,  nozes e cereais integrais. A vitamina B5 também é uma forte aliada, sendo encontrada em leites, iogurtes, carnes de frango ou bovina, brócolis, etc, assim como a vitamina B1, encontrada em carnes, aveia e outros cereais integrais.

Consuma chás caseiros. Chás das folhas de capim-cidreira, carqueja, cavalinha e chapéu-de-couro, além de fornecerem compostos antioxidantes, possuem ação diurética.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Christie, S; Walker, AF; Lewith, GT. Flavonoids – A new direction for the treatment of fluid retention? Phytotherapy Research, v. 15, p. 467-475, 2001.

Mello, NA. Você está se sentindo inchado? Saiba como a dieta pode ajudá-lo! Grupo de Estudos em Alimentos Funcionais – GEAF, ESALQ/USP. Disponível em: www.grupoalimentosfuncionais.blogspot.com.br Acessado em: 24/06/2017.

Metheny, NM. Fluid and Electrolyte Balance. Nursing Considerations. 15th ed. Sudbury: Jones & Bartlett Learning. 2012.
Postar um comentário