sábado, 2 de novembro de 2013

Aveia


          Os alimentos funcionais são alimentos que se caracterizam por oferecer benefícios à saúde, além do valor nutritivo natural, podendo desempenhar um papel potencialmente benéfico na redução do risco de aparecimento de certas doenças.

        Existem inúmeros alimentos funcionais e, entre eles, a aveia é um dos mais reconhecidos no mundo. Ela se destaca por se enquadrar em duas categorias de alimentos funcionais: como grão integral e como fonte de fibras solúveis.

        Grãos da espécie Avena, sendo as três mais conhecidas a Avena sativa, a steritis e a strigosa. Sua cultura é típica das regiões temperadas e acredita-se que seja originária da Escócia.

         Devido a sua própria estrutura celular, o consumo de aveia é, com algumas exceções, predominantemente na forma de grão integral. Seus lipídios estão distribuídos por todo o grão, diferentemente do que ocorrem em outros cereais como o milho, trigo e arroz, onde a concentração está na fração conhecida como germe (vide post cereais).

         Rica em fibras, vitaminas do complexo B, vitamina E, cálcio, fósforo, ferro e proteínas, a aveia pode ser ingerida sob a forma de flocos, flocos finos, farinha; como ingrediente no preparo de biscoitos (cookies) ou de mingau (cozida com leite); misturada a frutas picadas ou amassadas com mel. Sob qualquer uma de suas formas, a aveia também pode ser ingrediente de sopas e caldos, tortas salgadas e doces, bolos, pães e biscoitos.

         A concentração de açúcar na aveia é semelhante aos demais cereais. Os açúcares encontrados são a sacarose, rafinose, glicose, frutose, maltose, estaquiose e frutosanas, sendo a sacarose e a rafinose presentes em maior quantidade.

         Entre os cereais integrais, a aveia se diferencia por apresentar um dos mais altos teores proteicos e ótimo perfil de aminoácidos. Tem também alta porcentagem de lipídios que se destacam nutricionalmente por sua razão favorável entre insaturados e saturados e por suas propriedades antioxidantes. Além disso, é rica em fibras solúveis e insolúveis.

Suas fibras insolúveis atuam na regulação do trânsito intestinal. As fibras solúveis da aveia, denominadas betaglucanas, demonstraram ter a capacidade de ajudar a baixar os níveis de colesterol total e LDL (colesterol ruim) circulantes no sangue. Este efeito contribui diretamente na redução do risco de doenças cardiovasculares. Também existem estudos que observaram resultados satisfatórios da betaglucana no controle da pressão arterial e na redução da glicose no sangue.

            Outro efeito benéfico atribuído ao consumo de aveia está relacionado ao controle da obesidade. A betaglucana controla o apetite por retardar o esvaziamento gástrico proporcionando prolongada sensação de saciedade. Este efeito vem fazendo com que a aveia seja cada vez mais utilizada em regimes de redução de peso.

            Em 1997, o FDA (Food and Drug Administration), órgão regulamentador de alimentos e medicamentos dos EUA, após uma rigorosa avaliação, reconheceu a eficiência da ingestão diária de 3g de betaglucana – equivalente a ½ xícara de flocos ou farinha de aveia ou 3 colheres de sopa de farelo de aveia (40g) ou quatro colheres de farinha da aveia (60g) – na redução dos riscos de doenças cardíacas.

            Como nem sempre é fácil atingir o consumo diário de ½ xícara de aveia, recentes pesquisas vêm investigando novos processos tecnológicos buscando aumentar o teor de fibra solúvel betaglucana nos derivados da aveia. Isto permitirá alcançar mais facilmente a recomendação diária de 3g de betaglucana com a ingestão de menor quantidade de produto. Além disto, esta fração mais concentrada também poderá ser incorporada em outras bases alimentícias possibilitando a expansão dos benefícios da aveia para outras categorias de produtos.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Galdeano, MC. Aveia, uma escolha saudável. Disponível em: www.ctaa.embrapa.br Acessado em: 23/07/2013.
 
Klajn, VM. Efeitos do Processamento Hidrotérmico em Escala Industrial sobre Parâmetros de Composição Química, Estabilidade Conservativa e Atividade Antioxidante em Aveia. [Tese de Doutorado] Universidade Federal de Pelotas – UFPEL, 2011.

Philippi, ST. Nutrição e Técnica Dietética. 1 ed. Barueri: Manole, 2003; p.37-56.
Postar um comentário