terça-feira, 19 de novembro de 2013

Sódio

          Sódio, usualmente encontrado nos alimentos na forma de cloreto de sódio ou sal, é um nutriente essencial para manutenção de várias funções fisiológicas do organismo: transmissão nervosa, contração muscular, manutenção da pressão arterial e equilíbrio de fluidos ácido básico. Apesar disso, adicionar sal à dieta não é necessário, pois a quantidade necessária para repor as perdas do nutriente é próxima do conteúdo existente nos alimentos in natura. Além disso, o organismo apresenta alta capacidade de conservar sódio e perdas importantes do mineral só ocorrem em situações não usuais, como na sudorese prolongada.

            A necessidade humana de sódio varia entre 300 e 500mg/dia, para pessoas acima de 2 anos de idade. A Organização Mundial da Saúde recomenda um consumo máximo de 2000mg de sódio por pessoa ao dia, o que equivale a 5g de sal (lembrando que 40% do sal é composto de sódio), mas os brasileiros atualmente consomem mais do que o dobro desta quantidade. Então, é preciso reduzir drasticamente seu consumo para diminuir os adoecimentos e mortes na população e, mais que isso, melhorar a saúde dos brasileiros.

          Isso se deve principalmente ao consumo de alimentos industrializados e também devido à adição de sal durante o cozimento ou à mesa. A alimentação muito salgada dos brasileiros tem origem na tradição portuguesa de salgar os alimentos como meio de conservação. Muitos alimentos são conservados em salmoura, em vinagre ou sal (picles, vegetais, ervas, especiarias). Os alimentos em salmoura, tipo picles, podem aumentar o risco de câncer no estômago, quando esse tipo de alimento é consumido de maneira intensa e regular.

         Ao tentar reduzir o consumo de sal, as pessoas que consomem habitualmente alimentos salgados geralmente consideram a comida não tão saborosa, já que o sal é usado como condimento. As células do paladar podem levar algum tempo para ajustar-se ao sabor menos intenso do sal (período médio de até três meses). É importante que as pessoas saibam disso para persistir no consumo de alimentos com menos sal.

           Os rótulos dos alimentos processados apresentam o conteúdo de sódio. São exemplos de alimentos que possuem altos teores de sódio: sal de cozinha, embutidos, queijos, conservas, sopas, molhos e temperos prontos.

Teor de Sódio dos Alimentos

O Ministério da Saúde estabeleceu, em conjunto com a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA), um novo acordo para a redução do teor de sódio em alimentos industrializados. Este novo termo de compromisso tem como objetivo a diminuição do sódio em laticínios, embutidos e refeições prontas, que deverá ser reduzido em até 68% nos próximos quatro anos.

Segundo a última Pesquisa do Orçamento Familiar (POF) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o brasileiro consome, em média, 12 gramas de sódio por dia, considerando o sal de mesa e o sódio obtido dos alimentos. A marca é mais que o dobro do que os 5 gramas recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Se chegasse ao consumo médio ideal, o Brasil teria forte impacto na qualidade de vida dos brasileiros e na redução das mortes atribuídas à hipertensão e às suas complicações, conforme dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Estima-se que esta mudança acarretaria 15% menos mortes por AVC (acidente vascular cerebral) – hoje a principal causa de morte entre os brasileiros e responsável por 100 mil óbitos só em 2011 – e 10% menos mortes por infarto. Além disso, seria possível reduzir em 1,5 milhão o número de pessoas que necessitam de medicação para controlar a pressão alta. Outro ganho seria o acréscimo de mais quatro anos na expectativa de vida dos hipertensos.

METAS DO QUARTO TERMO DO ACORDO DE SÓDIO
LATICINIOS
Metas para 2014 (mg)
Metas para 2016 (mg)
Redução em 4 anos (mg)
Requeijão cremoso
587
541
63,2%
Queijo muçarela
559
512
68%
SOPAS
Metas para 2014 (mg)
Metas para 2016 (mg)
Redução em 4 anos (mg)
Sopa instantânea
334
330
19,5
Sopas prontas para consumo e para cozimento
327
314
33,2
EMBUTIDOS
Metas para 2015 (mg)
Metas para 2017 (mg)
Redução em 4 anos (mg)
Empanados
690
650
54,8
Hambúrguer
780
740
59,0
Linguiça cozida temp. ambiente
1560
1500
27,9
Linguiça cozida mantida sob refrigeração
1310
1210
33,9
Linguiça frescal
1080
970
42,0
Salsichas
1140
1120
29,8
Mortadela mantida sob refrigeração
1270
1180
26,6
Mortadela mantida a temp ambiente
1380
1350
16,0
Presuntaria
1180
1160
35,7

Dicas para reduzir o consumo de sal

1) Evite a utilização de temperos prontos e caldos concentrados, eles são ricos em sódio, glutamato monossódico entre outros;
2) Utilize ervas desidratadas, temperos naturais, pimenta e sucos de frutas para temperar os alimentos;
3) Evite também o uso de gordura animal como o bacon, toucinho, entre outros;
4) Não utilize saleiro à mesa;
5) Não acrescente sal no alimento depois de pronto.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.


Referências Bibliográficas:

Guia Alimentar para a População Brasileira, 2006. Disponível em: http://nutricao.saude.gov.br/guia_conheca.phpAcessado em: 21/09/2013.

Ministério da Saúde - Agência Saúde. Ministério da Saúde e Abia fecham acordo para reduzir sódio em carnes e laticínios. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br Acessado em: 11/11/2013.

Sarno, F; Jaime, PC; Ferreira, SRG; Monteiro, CA. Consumo de sódio e síndrome metabólica: uma revisão sistemática. Arq Bras Endocrinol Metab 2009; v.53, n.5: p.608-616.

Sarno, F. Estimativas do consumo de sódio no Brasil, revisão dos benefícios relacionados à limitação do consumo deste nutriente na Síndrome Metabólica e avaliação do impacto de intervenção no local de trabalho. [Tese de Doutorado] Universidade de São Paulo – USP, 2010.


Sódio. Ministério da Saúde. Disponível em: www.nutricao.saude.gov.br Acessado em: 21/09/2013.
Postar um comentário