quinta-feira, 17 de abril de 2014

Delícia de chocolate!!!

     O chocolate é amplamente consumido no Brasil. Atualmente o país é o 4° maior consumidor e o 2° em produção de cacau. Afinal, o chocolate, além de agradável ao paladar, é uma excelente opção de presente, difícil de alguém não gostar de receber essa delícia.

        O chocolate sempre foi considerado o inimigo número um das dietas e da vida saudável. Mas provou-se que os seus benefícios superam eventuais prejuízos. A sua capacidade de estimular a produção de serotonina vem sendo valorizada.

         A serotonina é uma substância do cérebro que melhora o humor, ajuda a combater a depressão, a ansiedade e estimula os centros de prazer e bem-estar. Além disso, o chocolate contém substâncias estimulantes como a cafeína, a teobromina e a tiramina, que agilizam o raciocínio.

          A principal matéria-prima do chocolate, o cacau, era considerada pelos povos Incas e Maias como alimento dos deuses. O cacau é uma fonte com alto poder antioxidante, inclusive sua atividade é maior que as encontradas nos chás e no vinho tinto, devido a sua composição rica em flavonoides como o resveratrol. Os benefícios advindos do consumo de chocolates se devem às substâncias presentes no cacau, chocolate ao leite, branco ou derivados possuem poucas ou nenhuma destas propriedades.

         Os principais compostos fenólicos presentes no cacau pertencem à classe dos flavonóis, como: catequina, epicatequina e procianidinas. Outros compostos também são encontrados no cacau, incluindo ácidos hidroxibenzoicos (gálico, seríngico, protocatequínico, vanilínico), ácidos hidroxicinâmicos e análogos (cafeico, ferúlico, cumárico, clovamida), flavonas (luteína e apigenina) e flavononas (naringerina).

          Uma vez ingerido, o cacau auxilia na redução de placas de gordura, beneficiando assim, o funcionamento do coração e, consequentemente, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares. Além da proteção cardiovascular, existem diversas outras propriedades biológicas associadas ao resveratrol, magnésio e antioxidantes presentes na semente do cacau, tais como atividade anticarcinogênica, anti-inflamatória e antioxidante.

          O cacau também contém alto teor de magnésio, mineral que auxilia no funcionamento do coração, cérebro e sistema digestivo.

           Apesar de ser rico em compostos benéficos e apresentar teores reduzido de açúcares, o chocolate amargo é um alimento gorduroso e calórico e, por isso, quando ingerido em demasia, pode acarretar malefícios a saúde, inclusive aumentando as placas de gordura.

            A Organização Mundial de Saúde não recomenda o consumo de nenhum tipo de doce, mas, para quem não resiste a um chocolate, o ideal é não ultrapassar os 50g diárias, já que além de alguns benefícios, o chocolate com menor quantidade de cacau apresenta efeitos nocivos, como obesidade e aumento da glicemia, devido ao alto teor de açúcar e gordura.


Tipos de Chocolate

Amargo: constituído de cacau, baixo teor de açúcar e sem adição de leite. O sabor amargo deve-se  a uma maior quantidade de massa de cacau, compondo aproximadamente entre 70% à 85% do produto;

Ao leite: tira-se uma parte da massa de cacau e adiciona-se leite em pó, açúcar. Contém menor teor de cacau, elevada quantidade de açúcar e um valor calórico muito maior que o chocolate amargo;

Branco: contém leite, açúcar, manteiga de cacau e lecitina, as sementes de cacau não fazem parte da constituição desse produto. Seu teor de gordura e valor calórico é mais elevado em comparação com os demais. Não apresenta nenhuma quantidade de antioxidantes por não apresentar semente de cacau em sua composição, alguns nem o consideram como “chocolate de verdade”;

Chocolate em pó: é o chocolate mais usado em receitas. Sua composição leva amêndoa de cacau, sem a manteiga. Pode ser amargo (recebe o nome de cacau em pó), meio amargo e doce;

Chocolate diet: sua composição é similar ao do chocolate ao leite, porém ao invés de açúcar, leva adoçante. Fique atento quanto a sua ingestão, pois devido à falta de açúcar, esse produto recebe uma quantidade maior de gordura para que ele fique semelhante ao chocolate tradicional. Indicado para diabéticos, muitas pessoas acabam consumindo acreditando que a ausência do açúcar faz com que ele tenha menos calorias. Devido a maior dose de gordura, o teor calórico é igual ou às vezes até maior do que o do chocolate ao leite tradicional;

Alfarroba: considerada uma alternativa para celíacos ou intolerantes à lactose. Para seu preparo é utilizado uma vagem torrada que é moída e resulta em uma farinha que é utilizada para substituir o cacau. É pouco calórico, rico em fibras e não contém cafeína. O sabor é semelhante ao do chocolate amargo;




À Base de soja: 100% vegetal, sem glúten ou lactose, feito com extrato de soja.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Barankevicz, GB. Hoje é dia do chcolate. Disponível em: www.alimentofuncional.com.br Acessado em: 10/04/2014.

Salgado, JM. Pharmacia de Alimentos. 1. ed. São Paulo: Madras, 2004; p.110-115.


Steinberg FM, Bearden MM, Keen CL. Cocoa and chocolate flavonoids: Implications for cardiovascular health. J Am Diet Assoc. 2003;103(2):215-23.
Postar um comentário