quinta-feira, 24 de abril de 2014

Fitoterápicos e Nutracêuticos que auxiliam no emagrecimento


A procura por produtos naturais aumenta a cada dia, junto com a consciência da busca por uma vida saudável. E hoje, a indústria tem lançado muitos produtos com esse apelo de “natural”. Os fitoterápicos e os nutracêuticos vêm ganhando espaço. Vejamos uma rápida explicação.

O uso dos fitoterápicos está aumentando nos últimos anos, inclusive aqueles que vêm sendo usados como adjuvantes nas dietas de emagrecimento.

Primeiramente, devemos observar que o uso e o controle da produção dos fitoterápicos estão contidos em uma lei. A RDC 14, de 31 de março de 2010 (emitida pela ANVISA), contém as regras sobre o registro dos medicamentos fitoterápicos e sua definição. No Brasil, é a definição que está em vigor nos dias atuais. Resumindo:

- São considerados medicamentos fitoterápicos os obtidos com emprego exclusivo de matérias-primas ativas vegetais, cuja eficácia e segurança são validadas por meio de levantamentos etnofarmacólogicos de utilização, documentações tecnocientíficas ou evidências clínicas.

- Os medicamentos fitoterápicos são caracterizados pelo conhecimento da eficácia e dos riscos de seu uso, assim como pela reprodutibilidade e constância de sua qualidade.

Já o termo nutracêutico é utilizado para nomear um nutriente específico presente no alimento. É uma substância de ocorrência natural com evidente efeito benéfico á saúde que faça parte como ingrediente de alimentos específicos, alimentos funcionais ou suplementos alimentares. Incorporados aos alimentos ou isolados, são substâncias naturalmente reconhecidas pelo organismo, e qualquer excesso é facilmente eliminado. Nutracêuticos podem também ser  chamados de alimentos funcionais, são definidos como produtos contendo em sua composição alguma substância biologicamente ativa, que, ao serem incluídos numa dieta, modulam processos metabólicos ou fisiológicos, resultando em benefícios à saúde. Podem ser consumido sob diferentes formas ou encontrados como fibras dietéticas, proteínas, peptídeos, aminoácidos, vitaminas, antioxidantes, minerais e outros.

Além do nutracêutico ser utilizado no tratamento de doenças, ele pode ser utilizado na prevenção, proporcionando benefícios à saúde. Apesar de todo aspecto “medicamentoso e terapêutico” que apresenta, ele é registrado como alimento, o que, realmente, ele não deixa de ser. Algumas legislações são específicas para nutracêuticos: Resoluções ANVISA/MS 16/99 1999, ANVISA/MS 17/99; ANVISA/MS 18/99 e ANVISA/MS 19/99.

É importante ressaltar que, mesmo sendo compostos obtidos de alimentos ou plantas, os compostos (fitoterápicos e nutracêuticos) não estão isentos de reações adversas e efeitos colaterais. Devem ser consumidos com orientação, observando as contraindicações gerais. Consultar um médico ou nutricionista é muito importante.

Abaixo, um resumo de fitoterápicos e nutracêuticos atuais usados no tratamento da obesidade e de suas complicações.

CISSUS QUADRANGULARIS

Planta nativa da Índia, cujo extrato contém esteroides vegetais naturais, as ketosteronas. Contém ácido ascórbico, caroteno e compostos esteroidais anabólicos. É utilizada na Medicina Ayurveda há muito tempo.

Em vários estudos realizados com indivíduos obesos ou com excesso de peso, o extrato de Cissus quadrangularis induziu reduções significativas de peso. O aumento dos níveis de creatina e de 5-HTP, induzido pela administração do suplemento, indica que o Cissus quadrangularis parece agir por um mecanismo de controle do apetite e propiciar o crescimento da massa muscular.

O suplemento teve como resultado a redução do colesterol total, do LDL, dos triglicerídeos e da glicemia em jejum, melhorando assim os fatores de risco cardiovascular.

Possui potente atividade antioxidante e neutraliza radicais livres em diferentes sistemas, o que pode explicar a sua eficácia nos tecidos lesados. Inibe a peroxidação lipídica e os radicais livres e estimula a atividade das enzimas antioxidantes endógenas.

Indicado no tratamento da obesidade, distúrbios do colesterol, glicose, diabetes e envelhecimento.

Usado na dosagem de 150mg, duas vezes ao dia, 30 minutos antes das refeições.

Referência Bibliográfica
Informe técnico do fabricante.

CACTI-NEA™ (Drenagem linfática em cápsulas)

É um nutracêutico do cacto Opuntia ficus-indica. O fruto têm vitaminas, antioxidantes (betanina e indicaxantina), aminoácidos e minerais.

Fonte rica em betalaínas biodisponíveis, com um conteúdo de indicaxantina na faixa de 65% a 85% de betalaínas totais. Esses compostos preservam as células do organismo frente aos danos oxidativos e aumentam a concentração de antioxidantes no plasma, como as vitaminas C e E.

As propriedades do Cacti-Nea™ foram comprovadas em uma série de estudos in vivo, os quais atestaram a proteção antioxidante e a capacidade de controle de peso, proporcionados pelos ativos do cacto.

Foi comprovado o efeito diurético do cacto, nos testes em ratos. Os resultados mostraram que o Cacti-Nea™ dobrou o volume de urina e preservou os minerais, prevenindo quadros de hipotensão. O consumo do nutracêutico induziu uma redução de ganho de peso de quase 20%.

Um estudo realizado em mulheres avaliou efeitos de Cacti-Nea™ (2g/dia) na redução da circunferência do quadril. Os resultados demonstraram redução de 1,9cm após 28 dias.

O nutracêutico ajuda no equilíbrio da composição corporal, favorecendo a desintoxicação e eliminação de gordura. A perda de peso deve-se, principalmente, à eliminação de gordura.

Concluindo: o nutracêutico tem propriedades diuréticas e antioxidantes, sendo indicado para controle de peso corporal e preservação celular contra danos de radicais livres. Contribui para a eliminação do excesso de fluidos, sem a perda dos minerais, favorecendo o equilíbrio.

A dose diária usual é de 2g. É recomendado tomar no café da manhã devido aos efeitos diuréticos.

Não há efeitos adversos relatados na literatura consultada.

Referência Bibliográfica
Literatura do fabricante – Nexia Health/França.

CACTUS CEREUS

É um gênero botânico da família Cactaceae. Nutracêutico composto de tiramina (substância que diminui a vontade de comer), betalaina e indicaxantina (diuréticos), ômega 6 e 9 (reduzem o colesterol) e vitamina C. É a famosa pitaya.

Os mecanismos de ação da planta ainda não estão totalmente elucidados, porém estudos fitoquímicos identificados na planta (tiamaina, n-metiltiramina, fibras de cadeia curta, ácidos graxos, vitamina C, betalaina e indicaxantina) são marcadores da espécie e os responsáveis pela ação moderadora do apetite e da ação lipolítica.

As propriedades são: moderador natural do apetite, redutor de medidas, lipolítico, hipocolesterolêmico, diurético e antioxidante.

Está indicado para pacientes que fazem dietas de baixa caloria, para perderem peso e medida.

Deve ser administrado via oral 200mg, 1 hora antes das refeições.

Não possui efeito adverso relatado nas referências pesquisadas. Está contraindicado para diabéticos, pois eleva a taxa glicêmica.

Referência:
Informe técnico do fornecedor.

Texto elaborado por: Patrícia Franco
Atua em farmácia de manipulação. Graduada em Farmácia-Bioquímica.
Pós- graduada em:
- Farmácia Homeopática
- Farmácia Magistral
- Alimentos Funcionais, Fitoterapia e Suplementação.


As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.
Postar um comentário