quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Recomendações Nutricionais Para Crianças




Oferecer uma alimentação agradável, equilibrada e variada nos primeiros anos de vida é fundamental para educar comportamentos e criar hábitos alimentares saudáveis que promovam o crescimento e o desenvolvimento adequados.

A construção desse hábito não é tarefa fácil e exige colaboração diária dos envolvidos: familiares, educadores e escola. Algumas orientações gerais para o período que compreende a infância (2-10 anos de idade) são necessárias:

- As grandes e intermediárias refeições (ao todo 5 ou 6 refeições/dia) devem ter horário pré estabelecido. Oferecer alimentos em hora errada ou deixar que a criança coma sempre que quiser pode prejudicar todo o processo;

- Caso a criança não aceite a refeição, não oferecer substitutos como, por exemplo, o leite;

- Adequar o tamanho das porções às necessidades reais da criança. Caso esteja satisfeita, não deve ser obrigada a “raspar” o prato;

- O doce não deve representar recompensa ou premiação;

- Evitar a oferta de líquidos junto com as refeições. A água deve ser oferecida à vontade ao longo do dia; sucos naturais (sem coar) no máximo 150 mL/dia a crianças menores de 7 anos e 240 mL/dia para crianças entre 7-10 anos; oferta restrita de refrigerantes e sucos artificiais uma vez que trazem diversas consequências ao organismo;

- Guloseimas (salgadinhos, doces e balas) devem ser evitadas. A criança deve entender que não existem alimentos proibidos, mas que alguns devem ser consumidos em uma quantidade e frequência adequadas, para que a saúde não seja prejudicada;

- Sempre que possível, reunir a família à mesa e estimular que a criança alimente-se sozinha. Restringir refeições em frente a televisores, tablets, celular, etc;

- Limitar a 2 horas diárias o tempo gasto com atividades sedentárias (uso de tablets, vídeo game, etc) e assistindo televisão. Estima-se que metade das propagandas veiculadas em horários de programas para crianças e adolescentes, é de alimentos de alta densidade energética e baixa densidade nutritiva (refrigerante, bolacha, fast food, lanches, etc) (MELLO, 2004);

- Envolver a criança no processo de escolha e preparo das refeições;

- Limitar a ingestão de alimentos ricos em gordura, sal e açúcar;

- Oferecer alimentos ricos em ferro (carnes vermelhas, grãos, vegetais verde escuros), cálcio (leite e derivados, vegetais verde escuros, sardinha, salmão), vitamina A (cenoura, gema de ovo, leite integral) e zinco (carnes, oleaginosas e farelo de aveia), nutrientes essenciais para o indivíduos;

- Estimular a prática de atividade física;

            Uma nutrição adequada também reduz o risco de deficiências nutricionais e previne problemas de saúde a longo prazo como, por exemplo: dislipidemia, obesidade diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial sistêmica, entre outras.

            No quadro 1 estão listadas as principais recomendações nutricionais para crianças. Em 2004, a OMS/FAO/ONU disponibilizou os requerimentos energéticos para todas as faixas etárias em ambos os gêneros, a partir de estudos com água duplamente marcada, os quais estão presentes no quadro 2. 
           
Quadro 1. Necessidades nutricionais na infância












Necessidades nutricionais
3-8 anos (média 6 anos)
4-11 anos
> 2 anos
1-3
4-8
8-11
DRIs (1997)
DRIs (2002)
Philippi et al (2008) FAO/WHO (2003)
Abrams
(2011)

Gênero masculino
Gênero feminino
Gasto energético
1742 kcal/dia
1642 kcal/dia
---
---
---
---
---
Carboidratos
130g/dia
45-60%
---
---
---
---
Fibras
25g/dia
Idade + 5 = Total em gramas.
Máximo: 25g/dia
---
---
---
---
Gordura
---
25-35%
---
---
---
---
Ácidos graxos poliinsaturados ômega 6
10g/dia
5-10% VET
---
---
---
---
Ácidos graxos poliinsaturados ômega 3
0,9g/dia
0,6 a 1,2% VET
---
---
---
---
Gordura saturada
---
---
< 10%VET
---
---
---
Gordura trans
---
---
≤ 1% VET ou <2g/dia
---
---
---
Proteínas
0,95g/kg/dia
10-30%
---
---
---
---
Vitamina A
600 pg/dia
---
---
---
---
---
Vitamina C
45 mg/dia
---
---
---
---
---
Cálcio
800 mg/dia
---
---
700 mg/dia
1000 mg/dia
1300 mg/dia
Ferro
10 mg/dia
---
---
---
---

Zinco
5 mg/dia
---
---
---
---

Vit D
5pg/dia
---
---
600 UI/dia
600 UI/dia
600 UI/dia










Fontes: Adaptado de Institute of Medicine – Dietary Reference Intake (1997, 2002, 2005); Philippi et al 2008. FAO/WHO 2003; Steven A. Abrams. Pediatrics 2011;127;566-568

Quadro 2. Requerimentos energéticos a partir de estudos com água duplamente marcada (OMS/FAO/ONU, 2004). 

Idade (anos)
Gênero masculino
Gênero feminino
Kcal/dia
Kcal/kg/dia
Kcal/dia
Kcal/kg/dia
0-2
950
82
850
80
2-3
1125
84
1050
81
3-4
1250
80
1150
77
4-5
1350
77
1250
74
5-6
1475
74
1325
72
6-7
1575
73
1425
69
7-8
1700
71
1550
67
8-9
1825
69
1700
64
9-10
1975
67
1850
61
10-11
2150
65
2000
58
 
 PHILIPPI et al. Pirâmide dos alimentos. Fundamentos Básicos da Nutrição; Barueri SP . Manole 2008. 3-387

Texto elaborado pelas nutricionistas: 

Alessandra do C.S.Coelho
  • Especialista em Nutrição Clínica (GANEP)
  • Especialista em Nutrição Enteral e Parenteral (SBNPE)
  • Diretora da Empresa Núcleo Especializado em Nutrição- ltda
  • Nutricionista do Centro de Obesidade Infantil do Hospital Infantil Sabará
  • Especialista associada na Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica
  • Profissional Associada à APAN (Associação Paulista de Nutrição)
  • Coordenadora do curso: Encontro Multidisciplinar de Obesidade Mórbida - Hospital São Luiz (desde 2006)
  • Vice Presidente Coesas da SBCBM gestão 2013-2014
  • Presidente Coesas da SBCBM gestão 2015-2016
Dyandra Loureiro CRN3 34980

  • Pós graduanda em Nutrição pediátrica, escolar e na adolescência pela Universidade Gama Filho - conclusão em 2014
  • Nutricionista do Centro de Obesidade Infantil do Hospital Infantil Sabará (SP)
Autora Capítulo: “Avaliação Nutricional e Bioquímica na Obesidade, na Síndrome Metabólica, no Pré e no Pós- Operatório de Cirurgia Bariátrica” - Livro: Nutrição e Metabolismo em Cirurgia Metabólica e Bariatrica – 2015

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.


Referências Bibliográficas:

Institute of Medicine (IOM). Dietary reference intakes for vitamin A, vitamin K, arsenic, boron, chromium, copper, iodine, iron, manganese, molybdenum, nickel, silicon, vanadium, and zinc. Washington (DC): National Academy Press; 2002.

Institute of Medicine (IOM). Dietary reference intakes for calcium, phosphorus, magnesium, vitamin D, and fluoride. Washington (DC): National Academy Press; 1997. 

Institute of Medicine (IOM). Dietary reference intakes for energy, carbohydrate, fiber, fat, fatty acids, cholesterol, protein, and amino acids. Washington (DC): National Academy Press; 2005.

Food and Agriculture Organization of the United Nations. Human energy requirements. Rome, 2004. FAO/WHO/UNU Expert Consultation Food and Nutrition Technical report series 1.

MELLO, Elza D. de, Luft, Vivian C., MEYER, Flavia. Obesidade infantil: como podemos ser eficazes? Jornal de Pediatria - V. 80, Nº3, 2004. Acesso em: http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n3/v80n3a04

ABRAMS, Steven A. Dietary Guidelines for Calcium and Vitamin D: A New Era. Pediatrics. V. 127. Nº 3. Mar 2011.


Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Manual de orientação: Manual de orientação do departamento de nutrologia: alimentação do lactente ao adolescente, alimentação na escola, alimentação saudável e vínculo mãe-filho, alimentação saudável e prevenção de doenças, segurança alimentar. Departamento Científico de Nutrologia, Rio de Janeiro, 2012.
Postar um comentário