quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Ervas e seus Benefícios à Saúde



As ervas são geralmente usadas como condimentos para conferir mais sabor e aroma nas preparações, mas também podem ser utilizadas na forma de infusões e até para flavorizar a água. Porém, sabe-se que também podem trazer grandes benefícios à saúde, graças às propriedades funcionais das substâncias nelas contidas, caso sejam consumidas corretamente.

Para tanto, segue abaixo as principais ervas consumidas e suas especificidades, pois mesmo sendo "naturais”, existe contra indicações e sempre deve-se considerar a individualidade para poder obter realmente os benefícios através da utilização delas.

AÇAFRÃO
Croccus sativus L.

Indicações: aumento a difusão do oxigênio in vivo, possui atividade antineoplásitica, antiofídico, digestivo, laxante leve, regulador dos processos sanguíneos e da tireoide, anti-inflamatório, sedativo, afrodisíaco e antiespasmódico. O açafrão é rico em um pigmento amarelo, riboflavina e em vitaminas.

Uso na gestação e lactação: contra indicado.

Contraindicações: não há relatos. 
 
Precauções: em pessoas com alergia ao açafrão pode ocorrer após o consumo urticária, reação anafilática.

Princípios ativos: Aldeídos tri-terpenos; carotenoides; mucilagem; safranal, cineol, crocetina; zeaxanteno.

ALECRIM
Rosmarinus officinalis L.

Indicações: cefaleia de origem digestiva, enxaquecas. Dores reumáticas, contusões, repelente de insetos, redutor da permeabilidade e fragilidade capilar, anticancerígeno, antiespasmótico, hepático, aumenta a imunidade, antimicrobiano, melhora a função mental e a memória e estimula o crescimento capilar.

Uso na gestação e lactação: contra indicado. Abortivo.  
                                   
Contraindicações: uso interno do óleo vegetal.

Posologia: 3 a 6 g/dia.

Precauções: afeta ciclo menstrual.

Princípios ativos: óleos voláteis: camfeno, limonemo, cânfora. Flavonoides: diosmetina, luteolina, ácido oleanoicos e ursólicos, carnasol, ácido clotrogênico e cafeico.

ALHO
Allium sativum L. 

Indicações: anticancerígeno, imunoestimulante nas infecções bacterianas, fúngicas, intoxicação nicotínica, afecções geniturinárias, problemas circulatórios, ulceras, varizes, prevenção de tromboembolismo, da arteriosclerose, e doenças cardíacas, parasitoses intestinais, hiperlipidemia, afecções de pele, acne, calos, caspa, dermatomicoses, picadas de insetos, afecções respiratórias, asma, bronquite resfriados, tosse, rouquidão, sinusite. Tem ação antibacteriana, antissépticas, incluindo distúrbios gastrointestinais e oncologia.

Uso na gestação e lactação: contra indicado como medicamento por seu efeito emenagogos. Pode provocar cólicas nos lactentes.

Contraindicações: apenas aos alérgicos ao alho.

Posologia: 2 a 4 g /dia.

Precauções: Não há nenhum relato.

Princípios ativos: Aldeídos tri-terpenos; carotenoides; mucilagem; safranal, cineol, crocetina, zeaxanteno.

CANELA
Cinnamomum verum J. S. Presl

Indicações: Especiaria, aromática, diarreia e distúrbios gastrintestinais, dismenorreia (cólicas menstruais), substância análoga à insulina, anti-inflamatória, antioxidante, e antimicrobiana, usada na culinária e na fabricação de bebidas, medicamentos, perfumes e sabonetes.

Uso na gestação e lactação: Mulheres grávidas devem evitar, pois a segurança e a eficácia de doses não foram estabelecidas. 

Contraindicações: a canela é contraindicada para pessoas com hipersensibilidade à canela ou ao bálsamo de peru.

Posologia: 1 a 6 g/dia.

Precauções: lesões nas mucosas orais foram associadas com a mastigação de chicletes e balas de canela. A exposição ao óleo de canela foi mencionada como um fator de risco para o câncer.

Princípios ativos: Óleo essencial: cinamaldeído, fenóis, terpenos, eugenol, ácido trans-cinâmico, hidroxicinamaldeído, o-metoxicinamaldeído, álcool cinamil e seus acetatos, limonemo, a-terpineol, taninos, mucilagem, procianidinas oligomérica, cumarina.

COENTRO
Coriandrum sativum

Indicações: Digestivo, carminativo, antiespasmódico, antiflatulento. Auxilia no tratamento do ácido úrico elevado. Tem atividade hipoglicemiante, lipolítica, antifúngica e antibacteriana.

Uso na gestação e lactação: Evitar em grávidas.

Contraindicações: não usar em crianças com menos de 2 anos. Cautela ao associar com hipoglicemiantes, insulina, anticoagulantes.
           
Posologia: 1 a 2 colheres sopa/ dia

Precauções: Vide contra indicações.

Princípios ativos: Óleo essencial (coriandrol, linalol, geraniol, alfa-pineno, paracimeno, limoneno, acetato de geranilo, alcanfor), flavonoides (apigenina), quercetina, rutina, campferol, ácido fenólicos (cafeico, clorogênico), cumarinas, taninos, fitoesteroides (alfa-sitosterol, beta-sitosterol), vitaminas (acetato de retinol, ácido ascórbico), sais minerais (cálcio, sais minerais (cálcio, fósforo), óleo fixo).

ERVA DOCE


Foeniculum vulgare Mill ou Funcho

Indicações: Afecções digestivas: acidez estomacal, estimulante gastrointestinal, dispepsia nervosa, espasmos, cólicas intestinais, gases, vômitos, halitose. Dores de cabeça, espasmos musculares, palpitações, tosse crônica, asma, bronquite, mucolítico, diurético, condimento em bebidas alcoólicas, laticínios, carnes e doces, sabonetes e saches pediculose, escabiose, e psoríase, em doses maiores é antiespamódico e antisséptico.

Uso na gestação e lactação: o anis é seguro como alimento. Grávidas devem evitar o consumo de anis em doses acima das encontradas em alimentos. O anis é supostamente um agente abortivo. É lactagogo.

Contraindicações: gestação.

Posologia: 3g de sementes secas (1 col. de sobremesa para cada xícara de água em decocto para todas as indicações até 3x ao dia). Vinho medicinal para enjoos, como lactagogo e nas enxaquecas. Tintura: 2,5ml em água como colutório e antiespamódico de uso interno, crianças tomam de 1/6 a ½ de acordo com a idade.

Princípios ativos: a microflora da semente tem 15 gêneros de fungos: 78 espécies e 6 variedades, incluindo Aspergilus, Penicillium e Rhizopus. O óleo volátil: anetol estragol, p-metoxyfenilacetona e B-cariofileno, Ra-se anisaldeído, ácido anísico, limoneno, a-pineno, acetaldeído, p-cresol, cresol e a miristicina (um composto psicomimétrico isolado previamente da noz-moscada); semente inteira: Cumarinas: umbeliferona, umbeliprenina, bergapteno e escopoletina. Lipídeos: ácidos graxos, beta-amirina, estigmasterol e seus sais. Flavonoides: rutina, is-orientina, e isovitexina. Aminoácidos; carboidratos, terpenos.

MANJERICÃO
Ocimum basilicum L.

Indicações: afecções digestivas, plenitude pós-prandial, gases, má digestão, falta de apetite, halitose, aftas, espasmos, cólicas intestinais, afecções pulmonares, febre, tosse, amigdalite, faringite, galactagogo (faz aumentar a secreção de leite), insônia, enxaquecas, diurético, repelente de insetos, fissuras nos mamilos de lactantes, anti-inflamatório, antimicrobiano, antioxidante, antisséptico.

Uso na gestação e lactação: contraindicado na gestação. Indicado na amamentação por suas propriedades galactagogas. O óleo essencial é contraindicado em ambas às situações.
                                             
Contraindicações: gestação e amamentação, pessoas alérgicas, o óleo essencial é contraindicado para uso interno.
    
Posologia: Como tempero, 8g de folhas adultas frescas ou 4g de folhas secas.

Precauções: Vide contraindicações. 
                                                           
Princípios ativos: ácidos orgânicos, flavonoides, taninos, saponinas.

ORÉGANO
Origanum vulgare L.

Indicações: afecções estomacais, indigestão, gases, cólicas, enjoo, cefaleias e queixas nervosas, afecções respiratórias, tosses, dores articulares e musculares, dor de dente, repelente de formigas, antibacteriana, fungicida, antioxidante, agente estrogênico.

Uso na gestação e lactação: o orégano é classificado como planta segura. A segurança e a eficácia do orégano em doses acima das recomendadas não foi estabelecida, portanto, as gestantes devem evitar quantidades acima daquelas encontradas em alimentos.

Contraindicações: nenhuma contraindicação foi identificada.
         
Posologia: adultos: 10 a 20ml de tintura divididos em 2 ou 3 doses diárias, diluídos em água; 2g de erva seca (1 col. de sopa para cada xícara de água) em infusão até 3 vezes ao dia em intervalos menores que 12 horas; a planta fresca pode ser usada na preparação de óleos e alimentos.

Precauções: Nenhuma, nos usos e doses indicadas.

Princípios ativos: ácidos oleanólico e ursólico, flavonoides, hidroquinonas, ácido rosmarínico, taninos, glicosídeos fenólicos, fenois polares, timol e carvacrol, tocoferois.

PIMENTA ROSA
Schinus molle L.

Indicações: Afecções da pele: feridas, tumores. Dores reumáticas, dores artríticas, tendinites: como anti-inflamatório; afecções renais: como diurético. Blenorragias, leucorreia, orquite crônica, sífilis – anti-inflamatória e bactericida; oftalmias.

Uso na gestação e lactação: não há informações da sua farmacocinética ou sobre seu uso nestas condições.
                                          
Contraindicações: não deve ser utilizado em pacientes com história prévia de alergia a alcil-fenois.
                      
Posologia: 2g de erva seca.

Princípios ativos: flavonoides: bi-flavonoides como a amento-flavona. Mono e sesquiterpenos; fenois: cardanois, cardois, cardolenos; ácido gálico; Ácidos tri-terpenoides: ácido masticadienônico, ácido epi-masticadienônico; Ácidos graxos; leucoantocianidinas; Óleos voláteis: limoneno, a-felandreno, B-felandreno, a-pineno, B-pineno, cimol, sabineno, ternipoleno. 

SALSINHA
Petroselinum sativum crispum

Indicações: fonte de vitaminas e minerais; tratamento da próstata; afecções do fígado e do baço; afecções gastrintestinais: dispepsia, indigestão, flatulência; afecções ginecológicas, amenorreia funcional, dismenorreia, contração uterina, lactagoga, tônica capilar; anemia; artrite; infecções microbianas; diurética e laxante. Auxiliar no tratamento de gota, ácido úrico elevado reumatismo, cálculos renais, cistite e outras afecções das vias urinárias, bronquite, asma, gripes e problemas circulatórios.

Uso na gestação e lactação: devido ao efeito uterotônico potencial, o óleo, o suco, e a semente da salsa não devem ser consumidos por mulheres grávidas. É lactagoga.

Contraindicações: nenhuma contraindicação foi identificada. A segurança e a eficácia da salsa em doses acima daquela encontrada em alimentos não foram determinadas.

Posologia: em média, um adulto pode consumir até 50g de salsa por refeição; cápsulas: 430 a 450mg; chás de diversas partes obedecem à dosagem padrão: 1 colher de sopa de planta, fresca para cada xícara de água; Sementes: flatulência e cólicas; Raízes: diurético; Suco: doenças renais/ o óleo da salsa também foi usado para regular o fluxo menstrual, no tratamento da amenorreia e da dismenorreia; as folhas amassada são usadas para tratar tumores, mordidas de inseto, piolhos, parasita da pele e contusões; o chá da salsa tem também usos tradicionais: tratamento de doenças da próstata, doenças do fígado e do baço, no tratamento da anemia, da artrite, e do câncer, além do uso como um expectorante, antimicrobial, afrodisíaco, hipotensivo, laxativo, e como uma loção para o couro cabeludo para estimular o crescimento do cabelo.
  
Precauções: o óleo essencial não deve ser usado devido a sua toxicidade. 

Princípios ativos: Vitaminas: A, B, C e K; Sais minerais: cálcio, ferro; Óleo essencial: apiol e miristicina; Carotenoides; majudina e heraclina; furocumarinas antimicrobiais: psoraleno, 8-metoxipsoraleno, 5-metoxipsoraleno, oxipeucedanina, e isopimpinelina; glicosídeos estrogênicos de flavona: 6-acetilapina e petrosídeo.

TOMILHO
Thymus vulgaris L.

Indicações: antiespamódico e carminativo. É antifúngico, antimicrobiano, anti-helmíntico, antiviral, antisséptico. Auxiliar no tratamento de bronquites catarrais, tosses, gripes e resfriados. É expectorante, anti-inflamatório, diaforético (faz suar). 

Uso na gestação e lactação: o óleo essencial é contraindicado durante a gravidez e lactação.
                                               
Contraindicações: o óleo essencial é contraindicado para crianças menores de seis anos, ou pessoas com hipersensibilidade a óleo essencial, distúrbios gastrintestinais neurológicos.
                        
Posologia: Na forma de infusão (antiespamódico e carminativo)1 a 2 colheres de sobremesa ao dia da erva para cada xícara de chá de água fervente.

Princípios ativos: óleo essencial (timol, carvacrol, geraniol, terpineol, linalol, trans-tuianol-terpineol), saponinas, flavonoides (apigenina e derivados, luteolina e derivados), ácidos fenólicos (cafeico, rosmarínico), triterpenos pentacíclicos (ácidos ursólico), taninos.

Texto elaborado por: Dra. Roseli Lomele Rossi - CRN 2084

Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN - Associação Brasileira de Nutrição.  
   
Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica. 

É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: "Saúde & Sabor com Equilíbrio" - Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Índice Terapêutico Fitoterápico (ITF). 1.ed.. Petrópolis, RJ. EPUB, 2008.

PANIZZA, S.T.; VEIGA, R.S. & ALMEIDA, M.C. Uso tradicional de plantas medicinais e fitoterápicos. São Luís: CONBRAFITO, 2012.
Postar um comentário