domingo, 15 de novembro de 2015

Alimentação Para Prevenção ao Câncer de Próstata



A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino cuja função é produzir e armazenar o sêmen. Os "problemas de próstata" estão relacionados geralmente à: prostatite, hiperplasia benigna da próstata e o câncer de próstata. O câncer de próstata é o sexto tipo de câncer mais comum no mundo e no Brasil é o mais prevalente após o câncer de pele não melanoma. Este é considerado o câncer da terceira idade, pois normalmente surge após os 65 anos de idade. A prevenção é essencial, principalmente para quem já teve antecedentes familiares com câncer é deve começar aos 45 anos. Além dos exames laboratoriais de sangue de rotina, os homens devem fazer também o exame de toque.

A alimentação também contribui para aumentar ou diminuir o risco de câncer de próstata. Alguns estudos relatam que uma alimentação excessiva em gorduras de origem animal, carne vermelha, carnes processadas, churrasco, frituras e alimentos fontes de cálcio esta associada ao aumento do risco de desenvolver este tipo de câncer; já uma dieta rica em vegetais, hortaliças, frutas sementes e grãos têm sido indicada como um fator de proteção e prevenção contra esta doença. Outro elemento fortemente relacionado nos estudos com o desenvolvimento de anormalidades na próstata é a obesidade. Alguns autores relatam que o tecido adiposo é capaz de armazenar pesticidas lipossolúveis e produzir hormônios androgênicos, indutores da proliferação desordenada de células prostáticas. Outros trabalhos mostram que indivíduos portadores de gordura visceral e síndrome metabólica apresentam inflamação crônica e por este motivo possuem uma elevada produção de citocinas pró-infamatórias e de fator nuclear beta (NF-kB), proporcionando uma proliferação desordenada de células prostáticas e uma redução da defesa do organismo. Depois destas explicações fica lógico se pensar em reduzir as citocinas pró-inflamatórias e os níveis de NF-kB para diminuir a probabilidade de se desenvolver alterações na próstata, sendo que uma das formas de fazer isto é consumindo resveratrol, substância presente em uvas , chá verde, alho e cebola. A modulação das células através da nutrição funcional tem mostrado ótimos resultados quando falamos em prevenção e redução de anormalidades na próstata.

      
Seguem os principais alimentos que exercem uma ação sobre a prevenção do Câncer de próstata:

Tomate

Vários estudos indicam que o consumo de alimentos ricos em licopeno (goiaba, melancia, mamão e pitanga), principalmente de tomate, modulam a expressão de uma proteína reguladora do crescimento da próstata e está inversamente associado com os níveis de PSA (Antígeno Específico da Próstata) e com sintomas do câncer de próstata como dor e dificuldade para urinar. O tomate possui antioxidantes que atuam na proteção do organismo, podendo impedir a formação de radicais livres, interceptarem os radicais livres gerados pelo metabolismo celular ou por fontes exógenas, evitando a formação de lesões e perda da integridade celular. Também podem reparar lesões causadas pelos radicais livres, removendo danos da molécula de DNA e reconstituindo membranas celulares danificadas. Assim, considera-se que o consumo de tomates e de seus produtos está associado à redução do risco de câncer. Essa proteção pode diminuir em até 33% as chances de desenvolvimento de tumores na próstata, segundo estudo feito pela Universidade de Harvard. Mas atenção: o organismo só consegue absorver o licopeno de alimentos cozidos - o estudo americano mostrou que homens com mais de 50 anos, habituados a consumir molho de tomate ou catchup mais de 10 vezes por semana, podem diminuir em até 50% as chances da doença.

Atualmente não se sabe a quantidade exata da ingestão diária de licopeno. Estudos epidemiológicos podem trazer informações importantes sobre os níveis de licopeno que se pode utilizar, ainda que não se tenha chegado a uma dose padrão devido à grande variedade de concentração de licopeno em suas diversas fontes. Alguns estudiosos não reconhecem a importância do licopeno para a saúde por sua falta de atividade pró-vitamina A. No entanto, a evidência do efeito preventivo do licopeno para a saúde humana despertou um grande interesse por parte dos nutricionistas e outros profissionais da saúde que sugerem níveis de ingestão diária baseados em conhecimentos científicos. Lemos Junior et al. (2011), sugerem que o consumo de uma porção por dia de tomate ou derivados pode apresentar um efeito protetor contra danos ao DNA. É sabido também que altas concentrações de licopeno no sangue estão associadas ao menor risco de desenvolvimento de Câncer de Próstata.

No entanto, não existe uma quantidade específica, mínima ou máxima, prescrita de licopeno a ser considerada segura para ingestão.

Soja

Conhecida por ser um alimento bastante versátil, a soja também desempenha um papel importante na hora de prevenir câncer de próstata. Vários estudos indicam que a genisteína, um tipo de isoflavona, aumenta a capacidade de autodestruição (apoptose) das células cancerígenas. 
Oleaginosas

As oleaginosas, como nozes, amêndoas, avelã e amendoim, são ricas em selênio, mineral com ação antioxidante e que ajuda na renovação das células. Duas castanhas do Brasil por dia, por exemplo, já suprem as quantidades diárias recomendadas de selênio. Além disso, as oleaginosas contêm vitamina E, nutriente que melhora o funcionamento do sistema imunológico.
Vegetais Verde-Escuros

Vegetais como brócolis, couve, couve flor e espinafre diminuem os casos de câncer de próstata. Isso acontece porque esses alimentos são ricos em ácido fólico, nutriente que combate o efeito dos radicais livres nas células. O estudo, publicado na revista especializada Cancer Prevention Research, dos Estados Unidos, recomenda o consumo de pelo menos um vegetal verde por dia para garantir o efeito preventivo. 
Chá Verde

Beber cinco xícaras de chá verde diariamente pode ajudar a diminuir em 50% o risco de desenvolvimento do câncer de próstata, segundo estudo do Centro Nacional Epidemiológico de Prevenção contra o Câncer, no Japão. O estudo avaliou cerca de 50 mil pessoas, com idades entre 40 e 69 anos para descobrir que a catequina, substância encontrada em abundância na bebida, além de inibir o crescimento das células  cancerígenas, também pode reduzir a quantidade de testosterona presente no corpo, hormônio relacionado ao desenvolvimento do tumor. 
Alho e Cebola

O consumo de alho e cebola pode diminuir em até 30% as chances de câncer de próstata, de acordo com estudo publicado pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos (NCI). Compostos sulfurosos, nutrientes antioxidantes que impedem a ação dos radicais livres, assinam a boa notícia. Meia cebola ou dois dentes de alho (crus, ou ligeiramente cozidos no vapor) por dia já diminuem as chances desse tipo de câncer.

Pimenta Cayena (Piri-Piri)

A pimenta cayena (Capsicum annuum) contém uma concentração elevada de uma substância chamada capsaicina, que lhe confere o temperamento picante quante. A capsaicina é conhecida pela sua capacidade de redução de dor mas também tem a capacidade de eliminar células cancerígenas, incluindo as que afectam a prostata. Esta substância faz com que as células cancerígenas “cometam suicidio” (apoptose) uma vez que ataca a as mitocôndrias, responsáveis pela produção de energia da célula, mas sem afectar as células.

Cogumelos

Os cogumelos, em especial as variedades asiáticas, apresentam grandes benefícios para a saúde, incluindo a sua capacidade para combater o cancro. Uma das variedades de grande importância é o cogumelo shiitake. Estes cogumelos contêm lentinana que é um composto activador do sistema imunitário que inibe o crescimento do tumor. Os cogumelos asiáticos contêm também um poderoso antioxidante chamado L-ergotioneína, em grandes concentrações em cogumelos shiitake, reishi e maitake, com propriedades protectoras das células, incluindo as da próstata.  Para incluir cogumelos na alimentação, é preferível optar pelas variedades asiáticas, excelentes quando cozinhados, adicionados nas sopas (sopa de miso, por exemplo), salteados, guisados e em molhos de massas. Para maximizar os benefícios para a sua saúde e em especial para sua a próstata, prepare os cogumelos com legumes cozinhados no vapor e acompanhe com cereais integrais.


Romãs

As romãs tem vindo a ser alvo de maior investigação à medida que os cientistas descobrem mais benefícios deste fruto. As romãs são particularmente ricas em anti-oxidantes e em punicalagina e de ácido elágico, fitonutrientes muito relevantes na acção9 contra o cancro, em particular ao cancro da mama, do cólon e da próstata. O ácido elágico tem a capacidade de inibir a formação da rede sanguínea dos tumores e induz a apoptose das células cancerígenas.  A ingestão regular de romã, em especial na sua época, é bastante recomendada. Fora da sua época, se necessário, pode recorrer ao sumo ou a suplementos.

Semente de Abóbora

A semente de abóbora atualmente é considerada um alimento nutracêutico, pela sua composição em fitonutrientes. Rico em vitamina A e vitaminas do complexo B, minerais com o cálcio, ferro, potássio, fósforo e selênio, além de ácidos graxos ômega 6. Oferece também pigmentos carotenoides, tais como alfacaroteno e o betacaroteno, que agem como antioxidantes lipofílicos. O óleo da semente de abóbora possui propriedades antioxidantes por ser abundante em vitamina E. A vitamina E age como antioxidante, prevenindo a propagação das reações dos radicais livres nas membranas biológicas. Essa propriedade tem levado estudiosos a avaliar a sua habilidade para a prevenção de doenças crônicas especialmente aquelas relacionadas ao estresse oxidativo.

Os fitoquímicos da abóbora foram associados à prevenção do câncer de próstata e destacados para vários estudos em campos de pesquisa relacionados à doença.      As propriedades descongestionantes do óleo extraído das sementes de abóbora passaram a ser, nos casos de adenoma da próstata, parte do tratamento, visando o conforto urinário e possíveis alterações na próstata. Atualmente tem sido considerado um dos melhores produtos naturais para o tratamento e a prevenção de problemas da próstata. Seus componentes graxos e alta concentração de zinco melhoram a tonicidade dos músculos da bexiga, descongestionando a próstata. Graças ao método de extração através de fluido super crítico, consegue-se atualmente obter um óleo de qualidade excepcional. O poder antioxidante e dos fitoesterois presentes no óleo de abóbora inibem a inflamação ou o crescimento do tecido prostático (hiperplasia benigna da próstata), que está na origem de problemas de micção. De acordo com pesquisas da Universidade Johns Hopkins, homens que ingerem vitamina E, selênio, betacaroteno e licopeno diariamente, presente em cerca de 4 mg de óleo de abóbora ou ¾ de xícara de polpa com semente, apresentam redução de 36% a 75% na incidência da doença.

Açafrão

O açafrão é uma planta perene cujas raízes são a base desta especiaria. O elemento ativo é a curcumina que lhe confere o seu sabor amargo e apimentado. Tradicionalmente, o açafrão tem sido usado para combater inflamações, constipações e asma, mas os cientistas também já lhe descobriram propriedades anti-cancerígenas. Um grupo de cientistas da Universidade de New Jersey descobriu que o açafrão sozinho ou combinado com um fitonutriente disponível nos vegetais crucíferos (brócolis, couve, entre outros) pode ser muito eficaz na prevenção e tratamento do cancro na próstata, e que a combinação pode reduzir bastante o crescimento do tumor.   

Através do conhecimentos destas informações, concluímos que ter bons hábitos alimentares e investir principalmente nos alimentos  acima citados, pode auxiliar tanto na prevenção como no tratamento do câncer de próstata.

Texto elaborado por: Dra. Roseli Lomele Rossi - CRN 2084

Nutricionista formada pelas Faculdades Integradas São Camilo (CRN 2084 /1983), com título de Especialista em Nutrição Clínica concedido pela ASBRAN - Associação Brasileira de Nutrição.  

Pós Graduada nos cursos de especialização de Planejamento, Organização e Administração de Serviços de Alimentação; Fitoterapia Aplicada à Nutrição Funcional e Nutrição Ortomolecular com Extensão em Nutrigenômica.

É Diretora da Clínica Equilíbrio Nutricional e autora dos Livros: "Saúde & Sabor com Equilíbrio" - Receitas Infantis, “Saúde & Sabor com Equilíbrio” – Receitas Diet e Light Volumes I e II, Colaboradora do livro Nutrição Esportiva – Aspectos relacionados à suplementação nutricional e autora do Livro “As Melhores Receitas Light da Clínica Personal Diet”.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:
                                                                                                 
CARVALHO, W. et al. Estimativa indireta de teores de licopeno em frutos de genótipos de tomateiro via análise colorimétrica. Hortic.Bras. Brasília, v. 23, n.3, p.819-825, jul.-set. 2005.

CERQUEIRA, F. M.; MEDEIROS, M. H. G.; AUGUSTO, O. Antioxidantes dietéticos: controvérsias e perspectivas. Quím. Nova. São Paulo, v.30, n. 2, p. 441- 449, mar.- abr. 2007.

Junior, APS; Farias, LM. Revista Interdisciplinar Novafapi, Teresina. v.5, n.2, p.50-54, Abr-Mai-Jun. 2012. Junior, A. P. S.; Farias, L. M.

ZAPATERO, A. Câncer de próstata. Oncologia (Barc.). Madrid, v. 27,n.7, p. 55-58, jul. 2004.

                                                    
Postar um comentário