terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Alimentos Tradicionais da Ceia Natalina



A poucos dias do Natal, o consumidor já pensa na festa cristã de 25 de dezembro que, tradicionalmente, congrega a troca de presentes entre familiares e amigos, bem como uma alegre e farta ceia natalina. A tradição nos induz a uma verdadeira farra gastronômica com rabanadas, frutas cristalizadas, panetones, bacalhau, peru, aves de “carne nobre”, etc., sendo praticamente impossível resistir a eles.

As festas de final de ano – Natal e Ano Novo - são globais, porém, as tradições variam em cada país ou região. De acordo com a temperatura e a localização, comemora-se a chegada do ano novo na beira da praia ou em ambientes fechados. O horário e o cardápio da ceia também variam, conforme a região, a família ou a religião de cada um.

Uma festa que, na tradição cristã, existe para celebrar a vida e a união familiar transformou-se, com o passar do tempo, também, em uma celebração do consumo. Indústria e varejo investem a maior parte de suas verbas publicitárias para anunciar nesta época, é no final do ano, especialmente no Natal, que se realiza o maior volume de vendas no varejo, desde os presentes que são trocados entre adultos e crianças, dos mais variados tipos, até o alimento que recebe, nesta época, uma carga de significado muito especial. Quer dizer, o Natal é uma época em que tudo o que está disponível no mercado pode vir a ser comprado e consumido. Neste contexto, não podemos deixar de considerar uma das mais fortes tradições desta época: a ceia!

Os significados, os sentimentos e as funções presentes na ceia de Natal, passando por temas como identidade, tradição, autenticidade, confiança e distinção envolvidos no consumo vão além de apenas um modo de alimentar.

O peru de Natal se tornou tema de conto do escritor Mario de Andrade, o consumo desta ave no Brasil deu-se no início do século XX, era servida em dias de festas com muitos convidados, praticamente uma extravagância e antes do peru, a tradição das mesas natalinas era o Bacalhau, trazido pelos portugueses. A introdução e fixação do peru como prato principal na Europa e nas Américas, incluindo o Brasil, na comemoração do nascimento de Cristo, transformou o ritual do jantar de Natal em ceia.

Em 1982, surgiu no mercado brasileiro, trazido, pela empresa Perdigão, um possível substituto do peru para ser usado como carne nobre na ceia natalina – o Chester (marca de propriedade da empresa Brasil Foods S.A). A partir de uma matriz escocesa e sucessivas seleções e cruzamentos de linhagens diferentes, criou-se uma ave com maior concentração de carnes nas coxas e no peito.

Aproveitando o sucesso mercadológico do Chester, foram lançadas no mercado outras aves de “carne nobre” que poderiam substituir o peru na ceia de Natal das famílias. Todas desenvolvidas e registradas como marcas por diversas empresas.

Muitos alimentos, como Chester e peru ganharam uma simbologia natalina, rabanadas, castanhas, frutas cristalizadas, panetones e diversos outros pratos são consumidos com mais ênfase nessa data. Pode-se dizer que a tradição da ceia de Natal, a repetição dos pratos servidos, seus significados e formas de consumi-los fornece uma identidade tradicional as famílias ao redor do mundo.

Quais os benefícios dos alimentos consumidos na ceia de Natal?

As festas de fim de ano costumam desestabilizar as dietas saudáveis. Além de engordar, o abuso de comidas calóricas e de bebidas alcoólicas no Natal e no Ano Novo podem desestabilizar o organismo humano, mas é possível fugir dos excessos.

É importante realizar uma ceia saudável e equilibrada, e que acima de tudo possa ser gostosa e harmoniosa, uma vez que a ceia natalina está repleta de alimentos que fazem bem para nossa saúde e que muitas vezes só são encontrados nesta época do ano.

Usando a criatividade podemos criar novos pratos sem perder a identidade original, é possível, por exemplo, substituir as rabanadas fritas por assadas, introduzir legumes e ervas ao arroz, a tradicional farofa pode ser de soja, etc. garantindo qualidade e diversidade nas preparações.

O peru é uma ótima opção de carne magra para o Natal, fonte proteica com baixo teor de gordura, outra opção é o Chester, carne magra e saborosa, considerado também uma boa fonte de proteínas para compor o prato principal da ceia de natal. As nozes são ricas em magnésio, fósforo, zinco, vitaminas do complexo B e vitamina E, devido a sua capacidade antioxidante dá-se a importante na proteção contra doenças coronarianas. A avelã é rica em cálcio e assim como as nozes, castanhas e amêndoas, a avelã possui alto teor de ácidos graxos fundamentais para nossa saúde. As frutas como: cereja “in natura” apresenta baixas calorias, é uma boa fonte de vitamina C, vitamina A, potássio e fibra solúvel, sendo benéfica na redução do colesterol; ameixa é também uma fruta de baixo valor calórico e boa fonte de fibras, rica em riboflavina e potássio; as uvas, principalmente as vermelhas, são muito ricas em substâncias antioxidantes que previnem o surgimento de diversas doenças, inclusive o envelhecimento; os damascos secos destacam-se como antioxidantes devido a sua alta concentração de betacaroteno e são mais nutritivos do que os frescos ou enlatados e isentos de gordura e a tâmara, com cerca de 60 a 70% de seu peso constituído de açúcar, é uma das frutas mais doces, possui propriedades nutritivas, sendo rica em potássio, ferro, niacina e vitamina B6. Fique a vontade para consumir todos esses alimentos durante sua ceia de natal!

Rolinhos de Berinjela com Ricota

Ingredientes:

2 unidades de berinjela; 
1 xícara de ricota; 
1 colher de sopa de azeite de oliva;
1 colher de chá de orégano; 
1 colher de chá de manjericão fresco; 
9 unidades de tomate seco; 
1 colher de sopa de azeitonas pretas picadas; 
2 colheres de sopa de leite desnatado;
1 colher de chá de salsa picada. 

Modo de Preparo:

Corte as berinjelas em fatias finas, no sentido longitudinal, cada berinjela dá aproximadamente 4 fatias. Coloque numa bacia 1 litro de água e 1 colher de sopa de sal, deixe as fatias de berinjela mergulhadas por 30 minutos. Passado o tempo retire-as da água, seque-as e reserve-as. Pincele o azeite nas fatias de berinjela, coloque-as em uma assadeira antiaderente afastadas umas das outras, e leve-as ao forno preaquecido a 200ºC por 15 minutos, Retire e deixe esfriar.

Recheio:

Numa vasilha junte a ricota, as azeitonas picadas, o orégano, os tomates secos picados, a salsa e o leite desnatado, misture bem até conseguir uma pasta cremosa.

Montagem:

Coloque uma colher de recheio em cada berinjela ou coloque mais se necessário e feche com meio palito espetado de cada lado. Depois de todos os rolinhos de berinjela com ricota montados leve-os novamente ao forno por 10 minutos. Retire e decore os rolinhos de berinjela com ricota com as folhas de manjericão e sirva-os. 




As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Canesqui, A. M.; Gracia, R.W.D. Antropologia e nutrição: um diálogo possível. Rio de Janeiro, Fiocruz, 2005

Douglas, M; Isherwood, B. O mundo dos bens: por uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro, UFRJ, 2004

INMETRO. Programa de análises de perigos: Relatório de verificação metrológica em produtos natalinos frango, peru e ave especial com maior quantidade de carne no peito e nas coxas (Chester). Rio de Janeiro. Dez, 2010.

Murilha, BL. Alimentos tradicionais da ceia natalina. Grupo de Estudos em Alimentos Funcionais – GEAF, ESALQ/USP, 2012. Disponível em: www.grupoalimentosfuncionais.blogspot.com.br





Postar um comentário