segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Ano Novo



As comemorações de final de ano representam uma época de finalizações e de renovação de esperanças. Nestas datas, os alimentos sempre estão presentes e alguns desses alimentos costumam ser consumidos como parte de alguma crença como alimentos para a sorte, para proteção e para o amor.

São tantas as tentações gastronômicas desta época que a sensação é de que exageros na alimentação estão liberados. Porém, é necessário tomar alguns cuidados, visto que a alimentação equilibrada do ano todo não pode ser esquecida em algumas festas de fim de ano, mandando por água a baixo todo o cuidado. Realmente existem muitos alimentos calóricos e que não trazem benefícios à saúde nas ceias, porém há também aqueles alimentos culturalmente consumidos que podem tornar sua ceia mais saudável. Assim, você não precisa se privar de aproveitar estes momentos, o segredo está nas escolhas certas para uma alimentação saudável.

A primeira coisa a ser lembrada é que a comida não é o ponto principal das festas, mas sim o fato de estar com os familiares e amigos, além de aproveitar o momento, sem ficar pensando só em comer o tempo todo. Para evitar o excesso, uma dica é valorizar suas escolhas e ter na mente que “menos” pode significar “mais”.

Se a festa de fim de ano for na sua casa, escolha alimentos mais saudáveis, sem exagerar nas quantidades preparadas e colocadas à mesa. O ideal é planejar um cardápio que contenha todos os grupos de alimentos, por exemplo: um tipo de carne, uma fonte de carboidrato (como o arroz), lentilha (pertence ao grupo dos feijões), hortaliças e frutas.

Se você é convidado para uma festa, baseie suas escolhas em um cardápio que contempla alimentos de todos os grupos. Seguindo algumas dicas é possível comer de forma saudável na festa de Réveillon e começar o ano com tudo em cima e sem arrependimentos.

Antes de tudo, não vá à festa com fome. Isso mesmo! Faça um pequeno lanche saudável antes de sair, como por exemplo, uma fruta ou um pequeno sanduíche com pão integral e queijo minas.  No dia da festa, faça as suas refeições normalmente, inclusive os lanches. Não pule refeições nem fique sem comer para chegar a noite e comer tudo o que deixou de comer no dia. Sempre que entrar muita energia de uma única vez, o corpo utiliza o que ele precisa e o resto ele estoca.

Como entrada, prefira palitos de legumes ao invés de canapés e patês a base de maionese ou creme de leite. Procure evitar a mesa de frios, pois geralmente contém muitos embutidos e queijos amarelos.

Inicie sua refeição pelas saladas cruas e abuse delas, não importam quais sejam e, dê preferência aos alimentos menos gordurosos. Coma o suficiente e sempre mastigue devagar.

Quando servir a carne, procure por pedaços sem gorduras aparentes e que foram preparadas grelhadas, assadas ou cozidas. Geralmente na ceia de Ano Novo, o hábito é consumir carne suína. Ao contrário do que se pensa, a carne suína pode ser saudável se ingerida em porções adequadas (aproximadamente 100 g) e provenientes de partes menos gordurosas, como lombo e pernil. O nível de colesterol contido na carne de um suíno é semelhante às outras carnes (bovinos e aves) e está perfeitamente adequado às exigências do consumidor, além disso, assim como as outras carnes, contém nutrientes essenciais ao nosso organismo como proteínas e ferro. Lembre-se, não consuma carnes mal passadas, elas podem ser veículo de transmissão de algumas doenças, como teníase.

Opte por farofas com frutas e vegetais, são deliciosas e mais saudáveis. O arroz à grega, também muito consumido nesta data, é uma excelente opção de acompanhamento par a carne. Modere na quantidade a ser servida. É importante também não misturar carboidratos: não coma, por exemplo, arroz e farofa juntos, ou arroz e batata.

A lentilha é um prato muito típico desta época do ano e pode ser consumido como parte da alimentação saudável na ceia de Ano Novo. A lentilha contém quantidades apreciáveis de proteínas e fibra alimentar, também apresenta vitaminas, especialmente do complexo B como ácido fólico, minerais como magnésio, fósforo, potássio e ferro. Uma concha pequena de lentilha é suficiente para apreciar o alimento e deixar a sua ceia completa e saudável.

Tempere a comida ou a salada com limão, azeite de oliva extra virgem, ervas, especiarias (alho, cebola, cheiro verde, alecrim, orégano, sálvia, gengibre, curcuma, etc) e pouco sal. Evite molhos à base de maionese, molho shoyu, caldos e temperos prontos.

Castanhas e nozes são alimentos muito utilizados nesta época do ano. Apesar de serem alimentos com diversos benefícios, cuidado com os excessos.

Não abuse de frutas cristalizadas, elas são revestidas de açúcar refinado,  e por isso são mais calóricas. Prefira as frutas secas, como damascos, ameixas, uvas passas.


Depois da ceia, chega a hora da sobremesa. Cuidado para não perder o controle e sair totalmente do planejado. Recomenda-se o consumo de frutas da época, como pêssego, abacaxi, uvas, ameixa, melancia, entre outras. Mas se você é não consegue resistir a sobremesa, prefira os doces à base de fruta, com menos creme ou chocolate. Se optar pelas outras, não exagere, escolha um tipo de sobremesa e sirva-se uma vez. A gelatina pode ser utilizada como uma alternativa de sobremesa, e existem diferentes formas de prepará-la.

Nas festas de final de ano, devemos ficar atentos às bebidas alcoólicas que geralmente são consumidas com maior frequência e em excesso. Além de conterem calorias extras, quando ingeridas em grandes quantidades, estas bebidas comprometem o funcionamento de todo o organismo. Por isso, alterne um ou dois copos de água para cada copo de bebida alcoólica ingerida. Evitar destilados, como vodka, pode ajudar. Isso porque esse tipo de bebida normalmente é acrescido de ingredientes que contêm açúcar. Já o vinho tinto é considerado uma boa opção, por ser leve e rico em antioxidantes. O consumo de bebida juntamente com a comida também não é recomendado. Devemos lembrar que o ideal é não consumirmos bebidas durante as refeições, pois os líquidos ingeridos diluem o suco gástrico presente no estômago, o que dificulta a digestão dos alimentos e, consequentemente, a absorção dos nutrientes.


As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referência Bibliográfica:

Schwarz, K. Ano Novo. Grupo de Estudos em Alimentos Funcionais – GEAF, ESALQ/USP.. Disponível em: www.grupoalimentosfuncionais.blogspot.com.br


Postar um comentário