quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Dieta Low Carb



A dieta low carb é uma dieta com baixo teor de carboidratos, e consequentemente maior conteúdo de proteínas e gorduras. Essa dieta é pautada no consumo restrito de carboidratos e no consumo livre de proteínas e gorduras.

É inegável que as dietas low carb fazem os indivíduos perder peso em pouco tempo. Mas será que o peso perdido veio das reservas de gordura, ou veio da massa muscular?

Segundo estudos, a diminuição da secreção de insulina, que é o que ocorre com uma dieta com pouco carboidrato, faz com que ocorra a mobilização de substratos endógenos para a produção de energia. Levando à maior circulação de ácidos graxos e corpos cetônicos, contribuindo para o catabolismo proteico. Portanto, um dos efeitos indesejáveis das dietas com baixo teor de carboidratos é a perda de massa magra.

Essa diminuição da quantidade de massa muscular faz com que o gasto energético seja menor no indivíduo, e isso explica a dificuldade em manter a manutenção da perda de peso quando retorna-se à alimentação normal e, as dietas com alto teor de gordura, apresentam baixa adesão à longo prazo, sendo muito possível que ocorra o aumento da eficiência metabólica e haja ganho de peso.

A dieta low carb é considerada “radical” demais, pelo simples fato de a ciência ter poucas informações com relação ao comportamento do organismo com a presença de uma quantidade muito baixa de carboidratos. Pesquisadores realizaram um estudo de revisão onde verificaram que de 107 artigos analisados, apenas 5 avaliaram os participantes que realizavam esta dieta. Isso mostra que são poucas as evidências de benefícios e/ou malefícios das dietas com restrição de carboidratos. 



Podemos citar também que, não existe nenhuma comprovação científica de que uma dieta rica em proteínas e gorduras possui efeito termogênico, na verdade a gordura apresenta baixíssimo efeito termogênico, não tendo efeito significativo na perda de peso.

A perda de peso que ocorre durante a prática de tal dieta, também pode estar relacionada ao fato de que, quando ocorre a restrição severa de carboidratos no organismo, as reservas de glicogênio e água são esvaziadas. Portanto, a perda de peso também pode significar a perda de fluidos, desencadeando desidratação.

As pesquisas vêm mostrando, que ao final de 1 ano comparando as pessoas que fazem a dieta low carb e as que fazem uma dieta hipocalórica, mas com quantidades adequadas de todos os nutrientes, a diferença de peso entre os dois grupos não é significativa. Uma das hipóteses para tal resultado é que a gordura apresenta menor eficiência para produzir sinais de saciedade do que as proteínas e carboidratos, portanto o indivíduo acaba se alimentando por um maior período de tempo e em maiores quantidades.

Deve-se levar em consideração também que, o aumento do consumo de gordura saturada pode proporcionar aumento do risco de cálculos biliares, hipercolesterolemia, e até câncer em pessoas com pré-disposição. É frequente que as pessoas que realizam dietas “baixo carboidrato” apresentem queixas de constipação, dor de cabeça, hálito cetônico, diarreia, erupções cutâneas e fraqueza geral, sintomas que são naturais pela restrição severa de carboidratos.

Diante de tudo isso, observa-se a urgência da realização de novos estudos sobre a restrição de carboidratos. Apesar de muitas críticas e pontos negativos, não há comprovações sólidas de que esteja correto ou incorreto o uso de dietas restritivas em nutrientes. Desta forma cabe a cada um escolher o que é mais seguro para si ou procurar um profissional nutricionista, para seguir as condutas mais adequadas para o seu caso de acordo com sua realidade.

Texto elaborado por: Dra. Caroline de Salve – CRN3. 28964

Nutricionista formada pelo Centro Universitário São Camilo 

Especialista em Nutrição Humana pelo Instituto Metabolismo e Nutrição (IMEN)

Especialista em Nutrição e Pediatria pelo HCMUSP

Nutricionista Responsável pelo Colégio Piaget

Nutricionista Responsável por unidade Salutem Nutrição e Bem Estar em São Caetano do Sul e atendimentos na Unidade Salutem de São Caetano do Sul. 

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Postar um comentário