terça-feira, 22 de novembro de 2016

Menos Sal Para as Crianças!



A hipertensão arterial no adulto é importante fator de risco para o desenvolvimento do acidente vascular cerebral. História familiar de hipertensão implica em maior chance de a criança apresentar níveis pressóricos nos percentis mais altos para sua faixa etária.

A pressão arterial na criança e no adolescente varia segundo sexo, idade, peso corporal, altura e maturidade biológica. A hipertensão arterial detectada em algumas crianças pode ser secundária, por exemplo, às doenças renais, mas pode também, em outros casos, representar o início precoce da hipertensão arterial essencial observada nos adultos.

Segundo pesquisa do Ministério da Saúde, o brasileiro consome em média 12g de sal por dia, mais do que o dobro da recomendação diária, que é de 5g. Isso equivale a uma colher rasa de chá ou 5 pacotinhos de sal encontrados nos restaurantes. 




O alto consumo de alimentos industrializados por crianças e adolescentes, em detrimento aos alimentos naturais, acarreta dieta com inadequada relação sódio/potássio, com elevado teor de sódio e baixa concentração de potássio. O potássio tem papel protetor na elevação da pressão sanguínea, sendo antagônico ao consumo alto de sódio. Os processos de cozimento e refinamento retiram grande parte do potássio dos alimentos.

Quadro 1. Quantidade de sal recomendada para as crianças.

1 a 3 anos
¼ de colher de chá
4 a 8 anos
½ colher de chá
8 anos em diante
1 colher rasa de chá
Fonte: Meu Prato Saudável.

Sódio: melhor amigo do sal!

O sal não está sozinho. Além dele, você precisa ficar de olho no sódio. Cerca de 40% do sal de cozinha é composto de sódio, um elemento químico usado na fabricação da maioria dos produtos industrializados, para aumentar o prazo de validade, dar sabor ou conservar os alimentos. Agora fica fácil entender que quanto mais sal você consome, maior a quantidade de sódio.

5 gramas de sal = 2 gramas de sódio

O sódio é um nutriente essencial para a saúde, mas seu consumo excessivo pode levar ao desenvolvimento da pressão alta, de doenças cardiovasculares e renais. E não é à toa que a hipertensão atinge 47 milhões de brasileiros, segundo Ministério da Saúde.

E se você acha que pressão alta é coisa de adulto, saiba que de acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), cerca de 3,5 milhões (5%) de crianças e adolescentes do país são portadores de pressão alta e a maioria dos pais não sabe.

Quadro 2. Alimentos ricos em sódio.

Campeões de sódio
Quantidade de sódio
Recomendação diária de sódio
Macarrão instantâneo – 1 pacote de 85g
1,95g
97,5%
Lasanha congelada à bolonhesa – ½ unidade de 325g
1,73g
86,5%
Tempero pronto para arroz – 1 colher de chá (5g)
1,64g
82%
Caldo de carne – ½ cubo (4,5g)
979mg
48,5%
Molho à base de soja – 3 colheres de sopa
0,85g
42,5%
Nuggets de frango industrializado – 5 unidades
0,74g
37%
Ovinhos de amendoim – 3 colheres de sopa
0,68g
34%
Salsicha – 1 unidade
0,60g
30%
Hambúrguer de carne industrializado – 1 ½ unidade
0,58g
29%
Fonte: Meu Prato Saudável.

Aproveite para tirar o saleiro da mesa, usar o mínimo de sal nas preparações e evitar, ao máximo, produtos industrializados para crianças.

A monitorização da pressão arterial do recém-nascido, lactente, pré-escolar, escolar e adolescente é necessária em toda consulta médica, além da orientação de dieta balanceada para o crescimento e desenvolvimento, principalmente certificando-se no paciente de risco o consumo adequado de sódio, potássio, cálcio e magnésio. A prática de atividade física moderada e regular parece ter influência benéfica na manutenção dos níveis pressóricos normais e também deve ser incentivada pelo profissional que acompanha a criança.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Menos sal para os pequenos, por favor! Rev Meu Prato Saudável, 2014.

Oliveira, FLC; Escrivão, MAMS. Prevenção das Doenças de Adultos na Infância e na Adolescência. In: Lopez, FC; Brasil, ALD. Nutrição e dietética em clínica pediátrica. 1 ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2004.

Salgado, CM; Carvalhaes, JTA. Hipertensão arterial na infância. J Pediatr 2003; v.79 (Supl 1.), S115-S124.

Postar um comentário