quinta-feira, 26 de maio de 2016

Amamentação



         O ser humano não está pronto para viver independente do organismo materno no momento em que deixa o útero, após o período de gestação.

          Na etapa extrauterina o ninho do útero será substituído pelo colo e o cordão umbilical pelo peito materno, de onde fluirá o colostro, uma espécie de néctar, fonte sobretudo de anticorpos. Considera-se, pois, a amamentação como a segunda etapa da gestação, após a qual, e só então, o bebê começará a evidenciar alguns sinais de independência do organismo materno. Dessa forma, e somente dessa forma, o desenvolvimento físico e afetivo do bebê terá uma sequência natural.

     A amamentação na primeira hora de vida após o parto é essencial, pois ajuda o leite a descer mais rápido e é muito saudável para o bebê. A sucção é o maior estímulo à produção do leite: quanto mais o bebê suga, mais leite a mãe produz. O aleitamento ainda na primeira hora de vida tem sido relacionado com a manutenção da amamentação por mais tempo e os profissionais de saúde devem estimular esse momento ainda na primeira hora, colocando o bebê em contato pele a pele com a mãe logo após o nascimento.

Por que amamentar é importante?

O leite materno é um alimento completo. Isso significa que, até os seis meses, o bebê não precisa de nenhum outro alimento (chá, suco, água ou outro leite). Ele é de fácil digestão e rico em anticorpos, protegendo a criança de muitas doenças como diarreia, infecções respiratórias, alergias, além de ajudar a reduzir o risco futuro de hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade.

A amamentação também permite um contato mais íntimo entre a mãe e o bebê. Sugar o peito é um excelente exercício para o desenvolvimento da face da criança, ajudando a ter dentes bonitos, a desenvolver a fala e a ter uma boa respiração.

Por que amamentar exclusivamente até os seis meses?

O leite materno tem o sabor e o cheiro dos alimentos que a mãe come. Por isto, a criança que mama no peito aceita melhor os alimentos que serão introduzidos após os seis meses. Além disso, o bebê que tem contato com outros tipos de leite antes dessa idade tem mais chances de adquirir alergias.

Depois dos seis meses, a amamentação deve ser complementada com outros alimentos saudáveis e de hábitos da família. A recomendação da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde é que a amamentação continue até os dois anos de vida ou mais. Quanto mais tempo o bebê mamar no peito, melhor para ele e para toda a família.

Quantas vezes e por quanto tempo a criança deve ser amamentada?

Recomenda-se que a criança seja amamentada na hora e quando quiser. É o que se chama de amamentação em livre demanda. Nos primeiros meses, é normal que a criança mame com frequência e sem horários regulares. Em geral, um bebê em aleitamento materno exclusivo, mama de oito a 12 vezes ao dia. Com o tempo, a tendência é que a criança estabeleça os horários regulares das mamadas.

Quais são os benefícios da amamentação para a mãe?

A amamentação reduz o peso mais rapidamente após o parto. Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de hemorragia e de anemia após o parto. Reduz o risco de diabetes e de desenvolvimento de câncer de mama e de ovário.

Como posso estimular a produção do leite?

Para manter uma boa quantidade de leite, é importante que a mãe amamente com frequência. A sucção é o maior estímulo à produção do leite: quanto mais o bebê suga, mais leite a mãe produz.

Em caso de dificuldade, onde posso buscar ajuda?

Caso a mãe tenha dificuldade para amamentar, ela poderá buscar ajuda de profissionais das equipes da estratégia Saúde da Família, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), nos Bancos de Leite Humano, nos hospitais Amigos da Criança e nos grupos comunitários de apoio à amamentação.

A amamentação é uma forma de prevenção de doenças e, após os seis meses de vida, o leite materno adicionado a uma alimentação variada, com alimentos de qualidade e preparados de forma correta para o consumo, contribui para a saúde e crescimento adequado do bebê.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Amamentação. Ministério da Saúde. Disponível em: www.blog.saude.gov.br Acessado em: 12/05/2016.

Amamente! O leite materno é essencial e protege a criança. Ministério da Saúde. Disponível em: www.blog.saude.gov.br Acessado em: 17/05/2016.

Lopes, PRA. As vantagens da amamentação. Por que amamentar? In: Rego, JD. Aleitamento Materno: um guia para pais e familiares. 1 ed. São Paulo: Editora Atheneu, 2002.

Postar um comentário