terça-feira, 3 de maio de 2016

Spirulina



A Spirulina spp é uma cianobactéria com diversas propriedades benéficas a saúde comprovadas por testes “in vitro” e “in vivo”. Quanto a sua aplicabilidade diversos produtos, principalmente suplementos alimentares e fármacos, vem sendo desenvolvidos e comercializados.

Spirulina é um gênero bacteriano classificado no grupo Cyanobacterium, antigamente classificado como grupo das algas verde-azuladas, entretanto, hoje, essa classificação caiu em desuso e os organismos pertencentes a esse gênero passaram a ser nomeados como cianobactérias. Esse gênero bacteriano engloba muitas espécies de Spirulina, sendo a S.platensis e a S.maxima as mais utilizadas na elaboração de suplementos alimentares.

A escolha dessas duas espécies não é trivial, ambas apresentam boa composição nutricional, contando com a presença de diversos nutrientes distribuídos de uma forma equilibrada. Entre os principais presentes podemos citar: as proteínas, vitaminas do complexo B, minerais, antioxidantes como o betacaroteno e a vitamina E e ácidos graxos poli-insaturados  como o ácido gama-linolênico (ômega 6). Como principais propriedades benéficas a saúde, podemos citar: o rico conteúdo nutricional e o combate aos efeitos deletérios da obesidade, diabetes e hipercolesterolêmia (colesterol alto).

Compostos Nutricionais e Bioativos:

Existem registros de que na pré História o homem já consumia algas verde-azuladas na forma crua ou cozida com o intuito de aumentar a quantidade de nutrientes dietéticos. Séculos depois constatamos que de fato esta bactéria, típica de lagos com pH alcalino, apresenta alto teor proteico e altas quantidades de betacaroteno (pró-vitamina A), ferro, vitaminas, compostos fenólicos, ficocianina e ácidos graxos essenciais, ou seja, ácidos graxos que nosso organismo não consegue sintetizar.
                                                             
A quantidade de proteínas equivale a aproximadamente 60 a 70% da matéria seca. Proteínas estas que são de alta digestibilidade e de excelente qualidade nutricional; é tanto constituída de aminoácidos essenciais como não essenciais.

Em relação aos compostos fenólicos a Spirulina é rica em ácidos orgânicos como o ácido cafeico, salicílico, sináptico e trans-cinâmico, que atuam como compostos antioxidantes. Seus principais pigmentos são os carotenoides, que compõe cerca de 0,37% da massa seca, e a ficocianina, cerca de 20%.

Entre os ácidos graxos essenciais, este microrganismo é rico principalmente em ácido gama-linolênico, representando aproximadamente cerca de 20 a 25% do conteúdo lipídico. A Spirullina também é rica em vitaminas do complexo B, biotina, ácido fólico, ácido pantotênico, vitamina E e também em minerais como cálcio, fósforo e potássio.

Propriedades a saúde

Certas características da Spirulina sugerem aplicações clínicas, sendo que muitos testes revelaram os efeitos terapêuticos desse microrganismo em pacientes acometidos de diversas doenças (Richmond, 1990). Além da atividade antiviral, capaz de combater a replicação de alguns tipos de vírus, da capacidade de reduzir o colesterol ruim (LDL), e de diminuir a toxidade renal provocada pelo acumulo de metais pesados e de remédios, como o paracetamol nos rins, a Spirulina possui outras propriedades medicinais, vamos conhecer algumas delas:

Obesidade: Segundos estudos, uma dieta suplementada com 2,8 gramas da Spirulina, três vezes ao dia, durante um mês, foi capaz de auxiliar a perda de peso de um grupo de pacientes obesos. Segundo os pesquisadores esta cianobactéria quando introduzida na dieta é capaz de aumentar a atividade de uma enzima conhecida como lípase lipoproteica que atua no tecido adiposo. Outro fator associado a perda de peso é o aumento da saciedade proporcionado pelo seu consumo.

Diabetes mellitus: O diabete mellitus é uma doença causada pela deficiência de insulina, o que acarretara maior concentração de açúcar no sangue (hiperglicemia). De acordo com estudos, a fração hidrossolúvel do microrganismo (ficocianina em sistema aquoso) diminuiu os níveis de glicose em ratos em jejum, enquanto que a fração lipossolúvel (ácidos graxos poli-insaturados) foi efetiva na diminuição dos estoques de glicose. Segundo outro estudo realizado com 15 diabéticos houve uma diminuição dos níveis de glicose sérica após 21 dias de tratamento com a Spirulina.

Hipertensão arterial: Estudos realizados com ratos com pressão arterial elevada comprovou que houve diminuição da mesma após a suplementação com a Spirulina. Estudos realizados com 36 humanos, entre 18 e 65 anos, durante seis semanas, também comprovaram a capacidade da cianobactéria em reduzir os níveis de pressão arterial. 

Sistema Imunológico: De acordo com estudos, a administração da ficocianina (pigmento) em camundongos resultou em maior atividade dos linfócitos do grupo tratado, o que sugere uma estimulação do sistema imune. A ficocianina também está relacionada com a aceleração das atividades celulares normais, isso pode prevenir o surgimento de doenças como o câncer.

Desnutrição: Um estudo feito com a administração de 1g/dia de Spirulina, durante 150 dias à 5000 crianças desnutridas devido a deficiência de vitamina A, revelou que esta quantia supriu a quantidade necessário de betacaroteno, que atua como pró-vitamina A, levando a uma diminuição das manchas de Bitot, que são provocadas por essa deficiência. Em um outro estudo realizado com 400 crianças, comprovou-se que uma dose diária de betacaroteno de Spirullina aumentou os níveis de vitamina A igualando-os aos níveis de crianças que ingeriram vitamina A pura. Outros estudos também foram realizados com crianças subnutridas e mostraram que a Spirulina atua como um bom suplemento alimentar para essas crianças, sendo melhor do que somente a adição de proteínas e carboidratos na alimentação. Também foi comprovada a propriedade da Spirulina em aumentar a absorção de Zinco pelo organismo.

Microbiota intestinal: Estudos realizados comprovaram que a cianobacteria pode elevar os níveis de microrganismo como Lactobacillus e Bifidobacterium que compõem nossa flora intestinal.

Câncer: O câncer é uma doença provocada por mutações na sequência de DNA, o que gera a multiplicação celular ilimitada. 

O efeito da Spirulina na prevenção de câncer pode ser atribuído à presença de β-caroteno, precursor da vitamina A, o qual apresenta capacidade de controlar a diferenciação e a proliferação celulares nos epitélios.

Assim concluímos que a Spirulina pode levar a diversos benefícios a nossa saúde, podendo ser consumida como suplemento alimentar ou utilizada pela indústria farmacêutica para a elaboração de medicamentos, entretanto é sempre necessária e fundamental a conversa com um médico sobre a ingestão desses suplementos e do microrganismo.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Ambrosi, M.A.; Reinehr, C.O.; Bertolin, T.E.; Costa, J.A.V.; Colla, L.M. Propriedades de saúde de Spirulina spp. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, Araraquara, v. 29, n. 2, p.109-117, 2008.

Belay A, Ota Y, Miyakawa K, Shimamatsu H. Current knowledge on potential health benefits of Spirulina. J Appl Phycol 1993; 5:235-41.

Brunton LL, Lazo JS, Parker KL, editors. Goodman & Gilman: as bases farmacológicas da terapêutica. 11.ed. Rio de Janeiro: McGraw Hill; 2006. 1821p.

Loureiro, MP. Conhecendo um pouco sobre os benefícios da Spirulina spp. Grupo de Estudos em Alimentos Funcionais – GEAF, ESALQ/USP. Disponível em: www.grupoalimentosfuncionais.blogspot.com.br






Postar um comentário