quinta-feira, 9 de junho de 2016

Alimentos Funcionais



Alguns alimentos são capazes de proteger contra doenças cardíacas, câncer, envelhecimento precoce, sintomas da menopausa e até problemas gastrointestinais. Esses alimentos são conhecidos como funcionais, pois, além das funções nutricionais básicas, trazem benefícios para a saúde e apresentam nutrientes com propriedades funcionais comprovadas. Porém, seu consumo deve estar associado a uma alimentação e hábitos de vida saudáveis.

Linhaça: a semente de linhaça é rica em vários minerais, principalmente em potássio, nutriente que facilita a contração muscular e ajuda a manter o batimento cardíaco em dia. Além disso, a linhaça é ótima aliada do intestino. A semente também atua no combate ao envelhecimento precoce, graças à sua ação antioxidante. Sua alta quantidade de ômega 3, um tipo de gordura boa, ajuda a reduzir os níveis de triglicerídeos no sangue. Uma dica é consumir com frutas, em sucos, iogurtes, vitaminas, saladas ou sopas.

Aveia: ela é rica em betaglucana, um nutriente responsável por reduzir os níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue. O destaque vai para a sua alta quantidade de fibras, que também melhora o funcionamento do intestino, aumenta a saciedade e ajuda na perda de peso. E tem mais, a aveia é rica em vitaminas do complexo B e minerais, como manganês, selênio e magnésio. Prefira as versões em farelo e flocos por terem mais nutrientes intactos. 



Iogurtes: são considerados alimentos probióticos, pois possuem micro-organismos vivos e que beneficiam a flora intestinal. São bons para prevenir as infecções gastrointestinais e melhoram a digestão, pois ajudam na degradação das proteínas, carboidratos e gorduras dos alimentos.

Vegetais laranjas ou amarelados: ricos em vitamina A, têm ação antioxidante contra os radicais livres, protegendo a integridade da pele e membranas. A vitamina também é importante para a saúde dos olhos. Estudos sugerem que alimentos ricos em vitamina A protegem contra diversos tipos de câncer.

Chicória: rica em inulina, que não é digerida pelas enzimas do intestino e, por isso, é considerada uma fibra alimentar insolúvel. Esse nutriente também tem propriedades prebióticos, ou seja, serve de alimento para as bactérias do intestino, o que é bom para a flora intestinal. Esta alegação pode ser utilizada desde que a recomendação de consumo diário forneça no mínimo 5g de inulina.

Peixes do mar: ricos em ômega 3, os peixes são excelentes para a saúde do coração, ajudando a reduzir os níveis de triglicerídeos e as placas de gordura dos vasos sanguíneos. Há evidências de que o ômega 3 não apenas auxilia na diminuição da placa de aterosclerose e na prevenção das arritmias, como também reduz a incidência de eventos cardíacos e de mortalidade em pessoas com doenças preexistentes. O melhor é consumir esses peixes assados ou cozidos.

Nozes: contêm gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas que reduzem os níveis de colesterol ruim (LDL) no sangue, prevenindo doenças do coração. Além disso, elas têm grandes quantidades de vitamina E e substância antioxidante que atuam diretamente na renovação celular, impedindo o envelhecimento precoce, ajudando no combate ao câncer e na aparência da pele. Mas, cuidado! O ideal é comer de 3 a 4 unidades por dia, pois são muito calóricas.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referência Bibliográfica:

Mello, AP. Sucesso na dieta: tudo o que você precisa saber. Revista Meu Prato Saudável. Disponível em: www.meupratosaudavel.com.br Acessado em: 24/05/2016.
Postar um comentário