terça-feira, 28 de junho de 2016

Chá



As origens do chá quase se perdem ao longo do tempo. Além disso, misturam-se às narrativas sobre este produto muitas lendas, sendo que a mais conhecida diz que o chá era uma bebida apreciada na China desde o longínquo ano de 2737 A.C. Nessa época, preocupado com as epidemias que regularmente assolavam seu império, o imperador Sheng Nong exigiu que toda a água fosse fervida antes de ser consumida, uma medida de caráter higiênico que ainda hoje faz sentido em muitos lugares do mundo.

Certo dia, num quente verão oriental, o imperador, de visita a uma das regiões distantes que governava, mandou parar a sua comitiva para que todos descansassem durante algum tempo. Os servos começaram então a ferver água para que a comitiva pudesse beber, mas algumas folhas de Camellia sinensis provenientes de arbustos próximos foram arrastadas pelo vento caindo no recipiente em ebulição. Pouco a pouco, a água foi adquirindo uma tonalidade castanha. O imperador, curioso, decidiu provar a estranha infusão e ficou surpreendido pelo sabor da bebida, tornando-se desde esse momento um grande adepto do chá, no que seria seguido pelo seu povo.

A partir da China o chá espalhou-se pelo mundo, primeiro para o vizinho Japão, depois, começou a sua caminhada para o Ocidente através da Ásia Central e da Rússia. No entanto, foi apenas com a chegada dos portugueses ao Oriente, em finais do século XV e início do século XVI, que a bebida começou a difundir-se na Europa.

O consumo de chá no Brasil se deu inicialmente com as práticas curativas pelos povos indígenas e foi continuado pelas culturas negras e europeias. No fim do século XX, a produção e consumo da bebida expandiram difundindo em todo país chamando a atenção dos órgãos governamentais os quais criaram legislação específica do produto.

O que caracteriza os chás?

Os chás só podem ser chamados por esse nome se forem feitos a partir das folhas da Camellia sinensis, planta que dá origem aos chás verde, branco, vermelho (pu-erh), oolong e preto. Isso quer dizer que aqueles “chazinhos” de camomila, hortelã, cidreira, erva doce entre tantos outros conhecidos, não são na verdade chás, mas infusões.

Que tipos de chás existem, e o que os diferencia?

Dependendo das condições de cultivo, coleta, preparo e acondicionamento dessas folhas é possível obter mais de 3000 diferentes tipos de chás. De qualquer forma, todos esses tipos são derivados de cinco categorias principais que se distinguem principalmente em relação ao grau de fermentação:

Chá branco - não fermentado, produzido a partir de brotos e folhas mais novas, tenras; é considerado o tipo que concentra a maior quantidade de compostos benéficos para a saúde;

● Chá verde – não fermentado, é o mais consumido e o que reúne a maior quantidade de estudos científicos;

● Chá vermelho (pu-erh) – Este chá tem propriedades intensificadas pelo envelhecimento, que pode levar anos; é neste momento que sofre uma pós-fermentação. As folhas são prensadas e ficam envelhecendo como um bom vinho;

● Chá oolong - com fermentação mediana, fica basicamente entre o chá verde e o preto;

● Chá preto – muito fermentado, por isso apresenta o sabor mais forte entre todos os tipos de chá.

Qual a diferença no sabor de cada um?

● Chá branco – Por não sofrer o processo de fermentação, não possui sabor amargo levemente adocicado, o chá branco apresenta sabor mais suave entre todos;

● Chá verde – Possui sabor levemente amargo, mas não deixa de ser o mais consumido;

● Chá vermelho (pu-erh) – Possui sabor acentuado, não tão amargo quanto o chá verde e não tão adocicado quanto o chá verde;

● Chá oolong – Apresenta sabor amargo, se assemelhando com o chá verde, deixando sabor residual adocicado;

● Chá preto – Dentre todos, o chá preto é o que apresenta sabor amargo mais intenso devido a fermentação completa do produto.

Qual a diferença entre as folhas e o sache?

O sache é a forma processada das folhas. A matéria-prima é seca e em seguida triturada e armazenada na forma de sache. Esse produto é uma forma mais concentrada das folhas. Existem também extratos altamente concentrados dessas plantas que podem ser consumidos gelados ou quentes.

Que propriedades nutricionais podem ser destacadas nos chás?

Todos os chás derivados da Camellia sinensis apresentam em sua composição substâncias antioxidantes conhecidas como polifenóis, contudo, elas estão presentes em maior quantidade nos chás cuja fermentação é mais leve ou inexistente.

O principal grupo de polifenóis encontrados nesses chás são as catequinas, e dentre as catequinas com maior poder antioxidante encontra-se a epigalocatequina-galato, também conhecida como EGCG. De acordo com os estudos, esta catequina apresenta um poder antioxidante superior ao das vitaminas C e E, capaz de reduzir o risco de várias doenças e ajudar no retardo do processo de envelhecimento.

Além disso, o chá possui propriedades termogênicas, ou seja, aumenta à taxa pela qual as calorias são queimadas e o gasto total de energia, isso provoca o aceleramento do metabolismo do corpo em consequência facilita a quebra de nutrientes pelo corpo auxiliando a digestão destes.
O consumo diário recomendado pelos estudos para quem escolheu as infusões de Camellia sinensis (folhas secas comercializadas em saches ou granel) para se obter todos os benefícios é de cerca de 4-6 xícaras. Para quem escolheu as versões instantâneas que levam extratos concentrados, uma ou duas porções ao dia é suficiente.

Mas preste bastante atenção, essa bebida apresenta elevadas concentrações de alcaloides como a cafeína, e por essa razão, pessoas com distúrbios do sono devem evitar o consumo da bebida antes de dormir. Em caso de gastrite, esofagite de refluxo e úlcera gástrica, o consumo também deve ser limitado, mas não deixe de consumir essa bebida tão apreciada e benéfica.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizada única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Santana, ATMC. Chá: bebida milenar em pró da saúde. Grupo de Estudos em Alimentos Funcionais – GEAF, ESALQ/USP. Disponível em: www.grupoalimentosfuncionais.blogspot.com.br Acessado em: 08/06/2016.

Postar um comentário