terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Canela



O efeito termogênico da canela, promovendo o aumento da temperatura corporal e assim facilitando a queima de gordura todos já conhecem, mas, além disso, a canela possui propriedades carminativas (combate gases no intestino), antiulcéricas e estomacais. Estimula a salivação e os sucos gástricos.

Em nove ensaios clínicos que usaram a canela em diferentes preparações (chá, cápsulas, e adicionada a alimentos) observou-se redução da circunferência da cintura, IMC, redução da pressão arterial, redução de gordura corporal e aumento de massa magra, redução da glicemia de jejum e pós prandial, retardo do esvaziamento gástrico, redução dos níveis de triglicerídeo e LDL-colesterol e colesterol total. Confirmando o seu auxílio na redução de peso e na melhora do quadro de síndrome metabólica.

Estudos demonstram que a canela pode ter um efeito benéfico na redução e controle da glicemia. Esse efeito se dá por conta de um grupo de fitonutrientes chamados de polímeros de polifenois, que em estudo de laboratório mostraram tanto aumentar como manter a atividade da insulina. Outro estudo mostrou que esses polímeros regulam a expressão de genes envolvidos na ativação do receptor da insulina na superfície da célula, melhorando a captação e utilização da glicose.

Tem propriedades anti-inflamatórias e age no processo de desinflamação de tecidos, entre outros. É uma rica fonte de substâncias como manganês, ferro e cálcio. Combate os radicais livres, contribuindo para a prevenção do envelhecimento precoce e do enfraquecimento dos fios de cabelo.


Texto elaborado por: Clara Paes Costa Fonseca – CRN4 08102031

Nutricionista graduada pela Universidade Veiga de Almeiga (UVA) – 2008;

Pós Graduada em Nutrição Clínica Funcional pela VP Consultoria – 2012;

Curso de atualização na área de: Nutrição Funcional Infantil, Suplementação, Sinais e Sintomas, Nutrição Funcional na Atividade Física, Nutrição Funcional Aplicada a Estética, Nutrição na Saúde da Mulher;

Atende em consultório desde 2010 no Rio de Janeiro/RJ

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

ZANARDO v.p.s; RAMBO, d.s; SCHWANKE, c.h.a; Canela (cinnamomum sp) e seu efeito
nos componentes da síndrome metabólica 

S Cunha, no site: http://www.ipnaturologia.com/sites/default/files/Canela.pdf (consultado dia 07/12/2016)

Santos, Elisabeth Jerónimo dos; Efeito da ingestão de chá de canela C. burmannii na glicémia pós-prandial de indivíduos adultos não diabéticos - http://hdl.handle.net/10400.26/12081 (pesquisado em 11/12/2016)

Anderson RA, Broadhurst, CL, Polansky MM, et al. Isolation and characterization of polyphenol type-A polymers from cinnamon with insulin-like biological activity. J Agric Food Chem. 2004 Jan 14; 52(1): 65-70.

Imparl-Radosevich J, Deas S, Polansky MM, et al. Regulation of PTP-1 and insulin receptor kinase by fractions from cinnamon: implications for cinnamon regulation of insulin signaling. Horm Res. 1998 Sep, 50(3): 177-82

Subash Babu P, Prabuseenivasan S, Ignacimuthu S. Cinnamaldehyde – a potential antidiabetic agent. Phytomedicine. 2007 Jan; 14(1): 15-22. Epub 2006 Nov 30.

Khan A. Safdar M, Muzzafar Ali Khan M, Nawak Khattak K, Anderson RA. Cinnamon improves glucose and lipids of people with type 2 diabetes. Diabetes Care. 2003 Dec; 26(12): 3215-8.

Hlebowicz J, Darwiche G, Björgell O, Almér LO. Effect of cinnamon on postprandial blood glucose, gastric emptying and satiety in healthy subjects. Am J Clin Nutr. 2007 Jun; 85(6): 1552-6
Postar um comentário