quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Os Benefícios do Alho Para o Nosso Organismo



O alho e a cebola são plantas aromáticas que há milênios tem conhecidas suas propriedades terapêuticas. A substância bioativa desses temperos são os sulfetos alílicos, que trazem benefícios à saúde, como redução do risco de doenças cardiovasculares e o estímulo da produção de enzimas protetoras contra o câncer gástrico.

O alho é composto por cerca de 30 compostos organossulfurosos (contém enxofre – que são responsáveis pela pungência, odor e sabor característicos), mas acredita-se que existam muito mais.

Outros compostos também encontrados no alho são: pectinas, prostaglandinas, frutano, adenosina, vitaminas B1, B2, B6, C e E, biotina, ácido nicotínico, ácidos graxos, glicolipídios, fosfolipídios e aminoácidos essenciais além de potássio, cálcio, fósforo, cobre, zinco, ferro e selênio; todas essas substâncias, juntamente com seus compostos organossulfurosos, potencializam sua ação biológica e medicinal. Portanto, esse alimento tem atividade contra inúmeras doenças e na manutenção da saúde, sendo estas:

● Atividade antimicrobiana (contra bactérias, fungos, leveduras, parasitas e infecções virais);

● Atividade antioxidante (auxilia no arraste dos radicais livres – diminuindo o risco de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral (AVC), evita a oxidação do LDL-colesterol (colesterol ruim);

● Atividade anticancerígena (seus compostos atravessam a membrana celular e ligam-se ao cromossomo danificado reparando-o; inibe também a proliferação e a divisão de células cancerígenas);

● Atividade antienvelhecimento (auxilia na longevidade dos neurônios e nas funções cognitivas (aprendizagem, comportamento e memória), auxilia no tratamento de doenças degenerativas como Alzheimer e demência);

● Atividade anti-hipertensiva (através do relaxamento do músculo liso e de uma vasodilatação dos vasos sanguíneos, fazendo com que o sangue flua melhor);

● Atividade anti-hiperglicemiante (contra o diabetes – estimula a produção e a secreção de insulina);

● Atividade antiaterogênica e anticoagulante (impede a agregação plaquetária; previne trombos);

● Atividade antiosteoporogênica (atua contra a osteoporose revertendo a diminuição da densidade óssea);

● Atividade antiestresse e antifadiga.

A dose diária recomendada de alho pela Food and Drug Administration (FDA – órgão governamental dos Estados Unidos que controla os alimentos e medicamentos) é de 600-900mg/dia, o que corresponde a dois dentes médios.

Uma dica muito importante é picar o alho algumas horas antes de seu consumo, pois seus compostos são liberados a partir de sua maceração, mastigação ou qualquer outro tipo de ruptura, apresentando-se em maiores quantidades com o passar das horas.

Outro ponto importante é que seus compostos bioativos são perdidos em altas temperaturas, sendo melhor aproveitados em saladas.

Não exagere na quantidade diária, pois tudo em excesso faz mal, até o que é saudável. O ideal é procurar um profissional da área para auxiliá-lo numa dieta adequada.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Cardoso, GA. A atuação do alho no nosso organismo. Grupo de Estudos em Alimentos Funcionais – GEAF, ESALQ/USP. Disponível em: www.grupoalimentosfuncionais.blogspot.com.br

Iciek, M.; Kwiecien, I.; Wlodek, L. Biological properties of garlic and Garlic-derived organosulfur compounds. Environmental and Molecular Mutagenesis;  50: 247-265, 2009.

Liu, c. t.; Sheen, l. y.; Lii, c. k. Does garlic have a role as an antidiabetic agent? Mol. Nutr. Food Res.; 51: 1353-1364, 2007.

Rahman, m. s. Allicin and other functional active components in garlic: health benefits and bioavailability international. Journal of Food Properties; 10: 245-268, 2007.




Postar um comentário