terça-feira, 22 de março de 2016

Manipulação de Alimentos na Prevenção de Hepatites A e E



A hepatite é uma inflamação do fígado e pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Diagnosticar a hepatite precocemente é a melhor forma de obter maiores chances de eficácia com o tratamento.

É importante lembrar que toda mulher grávida precisa fazer o pré-natal e os exames para detectar a hepatites, a AIDS e a sífilis, pois esse cuidado é fundamental para evitar a transmissão de mãe para filho.

HEPATITE A

A hepatite A é uma doença contagiosa, causada pelo vírus A (VHA) e também conhecida como “hepatite infecciosa”.

Transmissão: Fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. 

Sintomas: Geralmente, não apresenta. Porém, os mais frequentes são cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Quando surgem, costumam aparecer de 15 a 50 dias após a infecção.

Diagnóstico: É realizado por exame de sangue. Após a confirmação, o profissional de saúde indicará o tratamento mais adequado. A doença é totalmente curável quando o portador segue corretamente as recomendações médicas. 

Como se prevenir: Melhorar as condições de higiene e de saneamento básico, lavar sempre as mãos, consumir apenas água tratada, evitar contato com valões, riachos, chafarizes, enchentes ou próximo de onde haja esgoto a céu aberto.

HEPATITE E

A hepatite do tipo E é uma doença infecciosa viral causada pelo vírus VHE, mas possui ocorrência rara no Brasil, sendo mais comum na Ásia e África.

Transmissão: Sua transmissão é fecal-oral, por contato entre indivíduos ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus. Como as outras variações da doença, quase não apresenta sintomas. Porém, os mais frequentes são cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Esses sinais costumam aparecer de 15 a 60 dias após a infecção.

Diagnóstico: Realizado por exame de sangue, no qual se procura por anticorpos anti-HEV. Na maioria dos casos, a doença não requer tratamento, sendo proibido o consumo de bebidas alcoólicas, recomendado repouso e dieta pobre em gorduras. 

Como se prevenir: Melhorar as condições de higiene e de saneamento básico, como lavar sempre as mãos, consumir apenas água tratada, evitar contato com valões, riachos, chafarizes, enchentes ou próximo de onde haja esgoto a céu aberto.

As hepatites virais A e E possuem formas de contágio e, consequentemente, de prevenções muito parecidas, apesar de serem provocadas por vírus diferentes. Para Hepatite A, já existe vacina oferecida de forma gratuita nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Para a hepatite E ainda não há uma imunização disponível, portanto a melhor forma de se evitar a doença é melhorando as condições de higiene e de saneamento básico.

Conheça algumas dicas de saúde em manipulação de alimentos que ajudam a prevenir o contágio dessas hepatites:

Lavar as mãos

Lavar as mãos após ir ao banheiro, trocar fraldas e antes de comer ou preparar alimentos é de fundamental importância, pois essas hepatites são transmitidas por via fecal-oral, por contato entre indivíduos infectados ou por meio de água ou alimentos contaminados pelo vírus.

Higienização de alimentos

Alimentos que são consumidos crus devem ser bem lavados com água tratada, clorada ou fervida, deixando-os de molho por 30 minutos. Outros alimentos devem ser bem cozidos antes de consumi-los, principalmente mariscos, frutos do mar e carne de porco.

Tratamento da água

É importante que a água utilizada no preparo de alimentos esteja ideal para consumo. Para tratar a água, basta ferver ou colocar duas gotas de hipoclorito de sódio em um litro de água, 30 minutos antes de bebê-la, deixando o recipiente tampado para que o hipoclorito possa agir, tornando a água potável para o consumo. Na ausência de hipoclorito de sódio, pode-se preparar uma solução caseira com uma colher das de sopa de água sanitária a 2,5% (sem alvejante), diluída em um litro de água.

A higiene se estende também aos pratos, copos e talheres, que devem ser bem lavados. Caso haja algum doente com hepatite A em casa, utilizar hipoclorito de sódio ou água sanitária ao lavar o banheiro. No caso de creches, pré-escolas, lanchonetes, restaurantes e instituições fechadas, adotar medidas rigorosas de higiene, tal como a desinfecção de objetos.

As informações contidas neste blog, não devem ser substituídas por atendimento presencial aos profissionais da área de saúde, como médicos, nutricionistas, psicólogos, educadores físicos e etc. e sim, utilizadas única e exclusivamente, para seu conhecimento.

Referências Bibliográficas:

Dicas de manipulação de alimentos ajudam a prevenir hepatites A e E. Ministério da Saúde. Disponível em: www.blog.saude.gov.br

Você sabe diferenciar as hepatites A, B, C, D e E? Ministério da Saúde. Disponível em: www.blog.saude.gov.br


Postar um comentário